Minhas citações irlandesas favoritas

O tópico desta semana é um pouco difícil porque engloba citações e, no caso, eu só poderia incluir citações irlandesas, o que descaracterizaria o “favoritas”, já que com certeza eu incluiria Woody Allen e Smiths, por exemplo, que não são irlandeses. Porém, adaptei e num universo de diversas citações (de livros, músicas, seriados, filmes etc), selecionei apenas aquelas irlandesas que gosto ou acho interessantes por algum motivo. Ou não.

Semana 4 – Minhas citações irlandesas favoritas

1- “For fuck’s sake.” – Once

Esta frase não tem nada de especial, mas faz parte de um dos meus filmes favoritos, Once. E o Glen Hansard fala isso o filme inteiro! Além disso, assisti este filme (de novo) antes de ir para a Irlanda porque queria me adaptar ao sotaque irlandês – não que 1 hora e pouco de filme faça milagres.

2- “People think they know the mystery of living in your skin. They don’t. There’s no one who knows except the person who carts it around her own self.” – Colum McCann

Este trecho é do livro chamado Let the great world spin (Deixe o grande mundo girar), escrito pelo autor irlandês Colum McCann. Li o livro em 2011 e confesso que a história não está mais tão viva na minha cabeça, mas lembro que na época gostei muito e o livro tem umas sacadas interessantes.

3- “And the battles just begun
There’s many lost
But tell me who has won?
The trenches dug within our hearts
And mother, children, brothers, sisters torn apart” – U2

Quem reconheceu a letra de Sunday Bloody Sunday? Trata de um confronto entre manifestantes católicos e protestantes e o exército inglês ocorrido na Irlanda do Norte nos anos 70 e muito importante para a história do país. Wikipédia explica tudo aqui.

4- “What’s the story?/ What’s the craic?”
Autoexplicativa.

E a minha preferida:

5- Póg mo thóin

hehehehe… 😉

Enya

Pense em algum(a) cantor(a) ou banda irlandesa. Aposto o pote de ouro no fim do arco-íris que você pensou em U2. Mas saiba que nem só de Bono Vox se faz música irlandesa.

Nascida Eithne Ní Bhraonáin e conhecida como Enya, ela só perde mesmo para o U2 entre os artistas irlandeses que mais vendem fora da Ilha Esmeralda. Ela nasceu no condado de Donegal, um dos lugares onde, a época, o irlandês ainda era a língua oficial (Enya cresceu falando irlandês), sendo que Enya é a transliteração da pronúncia irlandesa de seu nome.

Confesso que não faz muito tempo que a conheci e, curiosamente, foi nos Estados Unidos. A hostmom de uma de minhas amigas adorava a cantora e certa vez fomos para Mount Evans com ela. Ouvimos Enya no caminho todo na ida e na volta. Apesar de no começo achar um pouco estranho, depois acabei me acostumando e achei que era um som bem “relax”. Alguns dias atrás, out of the blue, senti vontade de ouvi-la e baixei algumas músicas.

Dentre as minhas preferidas estão “Only if…” e “Only time”. Normalmente, as músicas são mais lentas e acaba sendo bem fácil entender o que ela fala. Se você já é um falante de inglês entre o básico e o intermediário, com certeza entenderá frases inteiras de suas músicas.

Alguns filmes como Doce Novembro, Gladiador e O Senhor dos Anéis têm Enya em sua trilha sonora (aposto que você já assistiu alguns deles e nem percebeu!), com “Only time”, “Now we are free” e “May it be”, respectivamente.

O estilo da cantora é único, com um background céltico, e o sentimento de paz e calmaria que se sente ouvindo suas músicas é indescritível!

Entre no clima céltico ouvindo Enya!