Vappu

Final de abril chegando e o pessoal não parava de falar de um tal de Vappu, ou Dia de Maio. Comecei a ver vários cartazes de eventos relacionados ao dia espalhados pela universidade, os professores finlandeses comentando, os brasileiros comentando, mas só fiquei curiosa mesmo quando há alguns dias vi uma fila de alunos finlandeses para comprar ingressos para alguma festa, mas não qualquer fila, elas haviam dormido na universidade! Aí percebi que a data era realmente importante.

E o que é Vappu, então? Vamos lá.

Dia 1º de maio é feriado no país, pois também é comemorado o Dia do Trabalho, mas aqui a data já tem outros significados. Nesta época do ano, normalmente o clima começa a realmente melhorar e também celebram a primavera. Apesar de já ouvir dizer que em alguns anos pode chegar a nevar nesta época, só posso dizer que em 2016 o clima está maravilhoso: final de semana ensolarado e com temperatura chegando a 16 graus, o que para mim já faz parecer que é verão. Porém, a maior celebração fica por conta de tradições dos estudantes, não que somente estudantes participem das comemorações, claro.

Alguns costumes do feriado são:

  • Usar fantasias! Fica parecendo que é Halloween, mas a comemoração é tão feliz quando um carnaval.
  • Balões coloridos, serpentina, flores e outros itens festivos e coloridos fazem parte da data.
  • Os universitários vestem sues chapéus de formatura do Ensino Médio. Quando os alunos se formam, é tradição usar um chapéu branco que, aparentemente, eles guardam com muito carinho e usam em algumas ocasiões, mesmo quando já estão na universidade.
  • Eles costumam comer donuts, ou tippaleipä, e beber Sima, uma bebida bem doce e gasosa.

    Sima e tippaleipã (foto do Google)
    Sima e tippaleipã (foto do Google)
  • A celebração começa no dia anterior a noite com festas e outras comemorações e termina no dia 1º de maio quando é tradição famílias e amigos fazerem picnics no parques das cidades.

Os alunos finlandeses estavam muito empolgados esta semana, participando de várias festas e outros eventos, sempre usando seus overalls (é uma tradição nas universidades finlandesas os alunos comprarem macacões, que variam de cor de acordo com a faculdade, e costurar patches que vão ganhando conforme participam de eventos) e bebendo muito! Até vi uma sauna móvel num parque da cidade com universitários andando nus por aí!

Universitários finlandeses com seus overalls e chapéus (foto do wikipedia)
Universitários finlandeses com seus overalls e chapéus (foto do wikipedia)

Mas apesar de todo clima de agitação de Oulu, meu Vappu foi dentro de casa fazendo trabalhos! Para ser sincera, eu ainda não consigo me sentir empolgada com as tradições finlandesas, pois pelo menos em Oulu, tudo parece ser muito “morno”. Talvez seja um problema de menina da cidade grande morando no interior… haha. De qualquer forma, os finlandeses adoram e se divertem muito neste que é provavelmente um dos maiores feriados do país.

Publicidade

Oito meses em Oulu

Oito meses e ufa! Que correira este meu último mês na pacata Oulu. Primeiro ano de curso chegando ao final, trabalhos para entregar, estágio em andamento e…

  • Estou com tantas coisas para fazer que marquei dentista, esqueci completamente da data e quando lembrei, no dia seguinte, fui feito louca na clínica da universidade ver se dava para dar um jeito no prejuízo (se o aluno não comparecer a uma consulta marcada, automaticamente paga uma multa de 18 euros). Sou tão sortuda que o dentista ficou doente naquela semana e todas as consultas foram canceladas. A parte trágica é que só havia horário para final de junho. Eh, vou passar sem meu check-up anual gratuito oferecido pela universidade.
  • No mesmo clima de cabeça cheia, um dia fui fazer trabalho em grupo numa sala de estudos da biblioteca da universidade. No dia seguinte, pela manhã, recebi um email informando que minha carteira me esperava na biblioteca. Primeiro que eu não havia percebido que tinha perdido a carteira. Segundo que fiquei surpresa de achar a carteira com tudo dentro, cada centavo.
  • Meu primeiro ano de mestrado está praticamente no final e alguns dos meus 14 colegas de turma não voltam mais, o que me deixa um pouco nostálgica desde já. Apesar de nós já estarmos num intercâmbio, afinal, só tem um finlandês na minha turma, a universidade oferece intercâmbios de um semestre em outros países e alguns deles resolveram que já era hora de se despedir de Oulu.
  • Assim que acabar que essa correria toda, tirarei merecidas férias. Sim, logo mais acrescento alguns países na minha lista. 🙂
  • Mas antes disso, agora estou fazendo estágio numa creche – porque fazer um mestrado, ter dois trabalhos freelance, ter um estágio obrigatório e ainda trabalhos para entregar não era suficiente para mim.
  • A primavera chegou com neve, mas aos poucos as temperaturas foram aumentando, a neve derretendo e agora a cidade não está mais branca e isso me deixa muito feliz. É mais gostoso pedalar e é muito bom não precisar colocar várias camadas para sair de casa.
  • Por outro lado, os dias estão ficando cada vez mais longos. Agora, por exemplo, começa a amanhecer por volta das 4h da manhã e não fica completamente escuro até perto de 23h. E eu que achei que essa seria uma época feliz depois de um inverno escuro, começo a me arrepender dos desejos de dias mais longos. “Putz, Bia, só reclama”. Sim, só, preciso desabafar…
  • Eu não consigo mais dormir! Eu durmo com uma boa venda nos olhos, daquelas que não passa nada de luz, mas todos os dias acordo entre 5h e 6h30 da manhã e custo a pegar no sono novamente – acho que o organismo, mesmo eu estando com os olhos vendados, nota que já está bem claro e fica desperto. E como anoitece perto das 23h, o cérebro fica acelerado e eu não consigo sentir que é hora de descansar até dar meia-noite. E quando dá, eu não durmo, eu desmaio. Não tá fácil.
  • A primavera trouxe temperaturas mais amenas e dias longos, mas nada de flores. As árvores ainda estão todas secas, a grama ainda está amarelada e eu que estava louca de vontade de fazer um posto com fotos de primavera, assim como fiz de outono e inverno, estou achando que não vai rolar. 😦
  • E a cidade está cheia de barraquinhas de sorvete, o que muito me surpreende, porque as temperaturas mais altas só chegaram esta semana e por alta eu quero dizer que um dia chegou a 15 graus e a média está em 12.

    Gente, tem até mesinhas!
    Gente, tem até mesinhas!
  • A vantagem dos dias longos é que dá para aproveitar mais atividades ao ar livre. Como comentei no post anterior, eu resolvi sair do sedentarismo e vou correr em volto do lago umas 3 vezes por semana. Posso sair de casa tranquilamente às 20h30 e ter certeza que volto com o dia claro.
  • Spoiler: não vai ter post de nove meses em Oulu. 🙂

 

 

 

Sete meses em Oulu

Tenho a impressão que toda semana escrevo post de “mesversário” em Oulu! O tempo voa quando a gente está até o pescoço com coisas pra fazer, não é? Sete meses sem pão francês, canjica e bisnaguinha com requeijão.

  • Alunos e professores do meu mestrado se reuniram num frio e ensolarado sábado à tarde para prática de esportes de inverno. Se algum finlandês falar que vai esquiar, esqueça as montanhas e as descidas de ski! Aqui se pratica o cross country skiing, que nada mais é do que deslizar na neve em um lugar plano.
Tipo isso!
Tipo isso!

Eu não sou fã de ski, então fiquei descendo as montanhas de neve no sledge mesmo. 🙂

  • Fiquei 9 dias fora no Reino Unido aproveitando a winter week e foi muito bom para relaxar um pouco e esquecer um pouco do trabalho e do mestrado. Voltei mais cansada do que fui, claro, mas valeu cada minuto.
  • Já estou preparando a renovação do meu visto para o segundo ano de mestrado. O processo todo é muito parecido com a solicitação do primeiro visto, mas ao invés de ir na Embaixada, como já estou na Finlândia só precisarei comparecer na polícia com horário marcado e os documentos originais.
  • Eu muito exaltei o inverno finlandês aqui e aqui. E não é que não é mais lindo, mas eu não aguento mais ver branco e neve todo dia em todo lugar! Nem estes 9 dias fora sem neve foram suficientes para voltar a achar neve legal. Já vamos aí pra 4 meses ininterruptos de neve acumulada – só pra constar, reza a lenda que o inverno dura 3 meses.
  • E aí, este semana, quando todo mundo achava que a primavera ia engatar – uma semana inteira com temperaturas acima de 0, neve derretendo loucamente, partes de grama sendo avistadas, passarinhos cantando e o sol saindo todo dia – voltou a nevar na velocidade 5 e em 2 dois caiu uns 5cm.
That's the feeling! Retirado da página do Facebook do Funland
That’s the feeling! Retirado da página do Facebook do Funland
  • Uma noite eu estava no meu quarto, sentada no meu sofá usando meu laptop, como de costume. Senti meu sofá tremendo, ouvi a janela batendo e 5 segundos depois tudo se acalmou e eu achei que tivesse tido uma alucinação. Aí fiquei sabendo que não fui a única e descobri que vivi um terremoto! Calma, não tem terremoto na Finlândia, o que sentimos foi um reflexo de um terremoto de 4.1 na escala Richter que ocorreu a uns 100km daqui, na costa da Suécia. Quem diria?
  • Num domingo, quando supostamente a primavera começou (e fez -10 graus), eu estava no meu quarto e vejo pela janela dois meninos andando na rua vestidos de bruxa. Achei estranho, não é Halloween, né? E nem no Halloween eu vi isso, pra falar a verdade. Aí descobri tudo! Aqui há uma tradição que no domingo antes da Páscoa, crianças se vestem de bruxas para celebrar o início da primavera. Elas vão de porta em porta para “abençoar” a casa em troca de doces, meio parecido com Halloween mesmo. Interessante, não? Leia mais aqui, em inglês.
  • Eu engordei incríveis 4kg nestes 7 meses, a maior parte deles depois que o invernão começou. Aí entra uma série de fatores: eu fui de praticar kung fu e fazer muita caminhada no Brasil a uma vida sedentária – com a chegada do inverno, apesar de eu não parar de pedalar, eu só pedalo distâncias de no máximo até 2km com frequência, o que não conta muito. Eu passei a cozinhar por hobby e, bem, eu como tudo que faço. E, isso é dedução minha (se alum entendido ler isso e puder opinar, agradeço), acredito que meu metabolismo desacelerou para poupar energia por conta do inverno. O resultado eu vejo na balança. :/
  • Por conta disso, resolvi fazer dieta e voltar a praticar exercícios. Comecei a correr aproveitando aquela semana que a neve derreteu das vias e o asfalto voltou a ficar visível. Lembrando que é só eu sair do prédio e já posso sair correndo, porque Oulu é praticamente um parque com casas. Só que aí nevou de novo, cobriu tudo de neve de novo e eu estou esperando derreter pra voltar a correr. Sorte, me desejem sorte.
  • Ando tendo umas homesick. Nada sério, nada pra querer cortar os pulsos. Só que é nessas horas que eu vejo que adoro viajar, morar fora, conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes, mas eu também acho um máximo voltar. E questiono se eu conseguiria, de fato, imigrar de vez.
  • Eu escrevi um guest post no Partiu Intercâmbio, um blog com muitas dicas de como morar fora em geral. Leia meu artigo aqui!

Força que desta vez o intercâmbio não dura só um ano! E para terminar, um vídeo mostrando o centro de Oulu. 🙂