Churrasco em alto mar

Minha promessa de ano novo para o blog era postar mais sobre o mestrado, porque eu falo muito da vida aqui sem incluir meus estudos (seria isso uma mensagem subliminar? Uhn), mas março chegou e o inverno ainda está muito presente com temperaturas negativas e paisagem branca, então não posso perder o timing e deixar de contar tudo que o famoso inverno finlandês oferece. Paciência, até maio o inverno acaba… dizem!

O título do post está parecendo piada, mas eu estou falando muito sério: eu fiz um churrasco no mar, literalmente. Não estava num navio ou num barco ou sentada na areia próxima ao mar – tudo aconteceu no mar mesmo. Vamos aos fatos.

O R. veio passar uns dias comigo no início do ano e eu queria fazer atividades bem de lugar com inverno de verdade e cheio de neve. Eu moro entre dois grandes lagos e eles congelam ao ponto de ser seguro ir patinar e como se andar num lago congelado já não fosse algo sensacional o suficiente para quem nunca nem neve tinha visto antes, o R. queria ver o mar congelado. A Finlândia é banhada pelo mar Báltico, que por receber muita água doce dos rios, é muito menos salgado que os oceanos. Você já notou que o oceano não congela, certo? Isso (não) acontece justamente pela salinidade da água, então a temperatura precisa estar muito baixa para a água do mar começar a querer congelar, mas como o mar Báltico não é tão salgado, ele congela assim como os rios.

Isto é uma pequena praia
Isto é uma pequena praia

Eu perguntei a um vizinho finlandês onde seria um bom lugar para levar o R. para ver o mar, porque eu não estava com vontade de pedalar 6km até a praia mais famosa da região. Ele sugeriu um local mais próximo e ainda se ofereceu para ir junto e fazermos um churrasquinho. Como eu já havia visto que é algo meio típico  daqui fazer churrasco na neve, topei.

A praia não era tão próxima, mas foi melhor pedalar 4km do que 6km, ainda mais que no dia fazia -14 graus. Chegamos e ficamos observando a vista, enquanto o S., o finlandês, saiu andando com sua machadinha para ver quantos centímetros de gelo tinha – ele não conseguiu chegar na água.

Andando sobre a água (em estado sólido)
Andando sobre a água (em estado sólido)

Ele, então, continuou andando mar adentro enquanto o R. e eu esperávamos mais próximos da “areia” coberta de neve. Mas o S. continuava andando, andando… e quando nos demos conta, vimos fogo e ele acendeu a churrasqueira. Neste momento que percebemos que os planos do S. era fazer o churrasco literalmente no mar. Fomos andando em direção a ele e vimos muitas pegadas, inclusive de cachorro, na pouca neve que cobria o mar. Também vimos uma pessoa chegando, colocando os patins e patinando no gelo. O inverno chega, mas a vida continua – não somos esquilos para hibernar, não é mesmo?

S. estava empolgado com o lugar que achou, mas como estávamos no meio do nada, estava ventando e bem, vocês sabem que a sensação térmica cai com vento, logo, fazia -14 com uma provável sensação de -25, clima perfeito para um churrasco.

Churrasco de salsicha
Churrasco de salsicha

Churrasco aqui é com salsicha, não se empolguem! E como estava um pouco frio, foi acompanhado de um chá. A gente queria comer rápido para poder ir embora, porque embora seja muito legal contar para os amiguinhos que você já “queimou uma carne” no mar, na hora tudo que você deseja é um sauna fervente.

Terminadas as salsichas, voltamos para “neve firme” congelando e pedalamos os 4km de volta para casa, contentes com a experiência e jurando nunca mais fazer isso.

Acho que dá praia...
Acho que dá praia…

Finlândia me fazendo rever meus conceitos de frio, praia e churrasco! Que aventura!

Ahhh o inverno!

Há não muito tempo fiz um post apenas com fotos da gracinha de outono finlandês. Apesar de os dois últimos posts denigrirem não motivarem ninguém a vir conhecer Oulu no inverno, é inegável que a cidade fica linda, especialmente logo depois da neve cair e tudo ficar branquinho. Embora talvez seja um pouco cedo para postar fotos – o inverno, oficialmente, começou há menos de um mês -, Oulu já mostrou sua graça e já tenho uma coleção de fotos bacanas (que seriam  melhores se eu soubesse fotografar direito). E, se necessário, escrevo o post II com mais fotos futuramente. 😉

A primeira neve de verdade, que caiu, ficou e deixou tudo branco, aconteceu no fim de novembro. Eu estava no centro da cidade e a paisagem estava linda.

Uma foto poética
Uma foto poética

A neve deixa tudo mais bonito, mas quando ela pinta os pinheiros de branco também, ah, aí é mais do que lindo!

pinheiro branco
O caminho de pinheiros que leva a universidade

E os galhos, então? Secos, mas cobertos de neve?

20151211_121021
Esta foi uma tentativa de focar o primeiro plano, mas não deu certo.

A primeira vez que vi o lago congelado. A paisagem quase toda alva.

As árvores encontrando o lago congelado
As árvores encontrando o lago congelado

E talvez seja uma boa ideia guardar a bicicleta em um abrigo. 😉

Vamos pedalar?
Vamos pedalar?

Neve nos cantos, um belo caminho e um sol espetacular. Se esquentasse, então, seria sensacional! haha…

Aurinko (sol em finlandês)
Aurinko (sol em finlandês)

Anjinho na neve, quem nunca?

Anjinho no lago congelado
Anjinho no lago congelado

E o lago congelado encontra o rio gelado.

Bucólico?
Bucólico?

E pedalar na neve?

Sem capacete: vida loka!
Sem capacete: vida loka!

E a calmaria de um lago congelado com um por-do-sol?

Perdi o fôlego!
Perdi o fôlego!

E escrever na neve acumulada no lago congelado? Pode.

Gosto tanto dessa palavra que...
Gosto tanto desta palavra que…

Patinar no gelo? Oulu ganha dezenas de rinks ao ar livre.

Como se eu soubesse...
Como se eu soubesse…

E se não está fácil pra uma estátua, imagine pra quem é de carne, osso e sente frio?

No centro da cidade
No centro da cidade

Oulu, uma cidade gracinha.

Galhos, neve, prédio
Galhos, neve, prédio

As cores do céu encantam tanto quando o branco do chão.

Colorido
Colorido

Por aqui, até o mar congela. Oulu é banhada pelo Mar Báltico.

frozen sea
Frozen

Poxa, inverno, não precisa apelar!

-25!
-25!

E até o momento, no dia mais frio tivemos -28 graus! Até então, meu record tinha sido -27 quando morava no Colorado, nos EUA. Obrigada, Oulu, por ter batido o record sqn. 🙂