Cliffs of Moher

Os Cliffs of Moher formam um dos mais famosos pontos turísticos da Irlanda. Os paredões de até 200 metros de altura ficam na costa oposta de Dublin, numa viagem de pouco mais de 3h de carro (imagine cruzar um país de uma costa a outra em 3h? Já fiquei mais que isso só no trânsito de São Paulo… hehe).

Há tours de um dia que saem de Dublin para lá, mas como vocês já sabem, eu não sou muito fã de tours e afins, então, alugamos um carro e fomos por conta própria. Eu já falei um pouco sobre alugar carros por aqui quando fui para a Irlanda do Norte. Um ótimo site para pesquisar o melhor preço é o Argus Rentals, já que ele reune várias locadoras e busca o melhor aluguel. Desta vez, decidimos alugar um carro a diesel, pois mesmo o aluguel sendo um pouco mais alto, compensaria pela economia que faríamos com combustível.

Saímos de Dublin logo cedo e demos muita sorte com o tempo, pois estava um lindo dia de sol e céu azul (embora ainda muito frio).

Cliffs of Moher
Cliffs of Moher

Há um Visitor Centre e algumas lojinhas de souvenirs logo na entrada, mas fomos direto para os Cliffs. A visita tem “dois ângulos” de visão: uma trilha leva para o lado oposto oferecendo uma bela vista dos cliffs e a outra trilha leva aos cliffs em si.

Como escolhemos um dia perfeito, a visão dos cliffs era de tirar o fôlego! Também era de tirar completamente o fôlego ver a altura toda até o mar e nenhum muro ou cerca de proteção no penhasco. Sim, era possível sentar na beira dos cliffs para bater umas fotos, mas só pessoas sem amor à vida fariam isso.

Pessoa sem amor à vida
Pessoa sem amor à vida

A melhor parte de não estar num tour é fazer seus próprios horários. Fizemos as trilhas dos dois lados dos cliffs, paramos para fotos e ainda fizemos um lanche e ficamos observando as gaivotas sem correria ou pressão. No total, foram quase 4h muito bem aproveitadas por lá.

Sol e céu azul
Sol e céu azul

Na volta, passamos por algumas atrações menores, como esta tumba de mais de 5 mil anos, a Poulnabrone Dolmen.

Poulnabrone Dolmen
Poulnabrone Dolmen

E este castelo do século 16, o Dunguaire Castle.

Dunguaire Castle

Para terminar o dia, demos uma volta em Galway, que fica a uns 40 minutos dos Cliffs. Não ficamos muito tempo, mas deu para sentir que é uma cidade bem diferente de Dublin. Achei bem bonitinha.

Galway
Galway

Voltamos para Dublin, pouco menos de 3h de Galway, com um belo por-do-sol.

$SC02598
Sunset

Curiosidades

* Cenas dos filmes Casa Comigo e Harry Potter e o Príncipe Mestiço e o clipe My love do Westlife foram gravados lá.

* Procurei na internet informações sobre mortes acidentais no local, mas nem aquele que tudo sabe, o Google, me deu essa informação. Fato é que vez ou outra alguém deve dar um passinho pra trás para tirar uma foto ou cometer suicídio mesmo. Mas achei notícias sobre acidentes (ou não) nos cliffs aqui, aqui, aqui, aqui e aqui (todos os links em inglês).

Memorial
Memorial

Oh, dúvida cruel!

Que eu perdi a chance de comprar euricos euros e passagens aéreas a preço de banana em março, você já sabe. Mas o curso está comprado, o intercâmbio planejado e o casal Euro-Dólar não vai pular dos Cliffs of Moher só porque eu quero.

Estava planejando ir em 2 de agosto. Trabalharia até fim de junho/começo de julho e teria tempo de sobra para resolver aqueles últimos detalhes pré-viagem e descansar um pouco da minha vida louca de teacher. Mais ou menos como fiz quando fui ser au poor pair.

Aí que eu descubro que dia 6 de agosto, segunda-feira, é feriado na Irlanda e, portanto, teria que esperar até dia 13  para o início das aulas (em qualquer escola, as aulas só começam às segundas-feiras – desde que não seja um feriado). Mas isso não seria um problema para mim. Problema é chegar na sexta, ter um final de semana pela frente e depois emendar num feriado. Primeira vez na vida que não estou curtindo uma folga. Explico. Eu fechei uma semana de acomodação com a escola, o que significa que preciso conseguir um teto até 10 de agosto (supondo que eu embarque dia 2). Dia 3 é perdido, vou chegar e descansar e me achar na vida dublinense. Sábado e domingo já estavam fora do baralho mesmo e agora com o tal feriado, eu teria, na verdade, 2 dias para achar uma vaga, já que no dia 10 eu preciso estar fora da residência estudantil. Bem, não é impossível, eu posso checar os sites especializados no assunto nas semanas anteriores ao embarque e já chegar lá com algo certo e, em último caso, me hospedar em um hostel. Eu não tenho problema nenhum com hostels. Quem me conhece, sabe que já viajei para vários lugares e sempre ficando em hostels. O problema é ficar num hostel com TODAS as minhas bugigangas.

Dúvida 1: mudo ou não mudo a data do voo? Vou uma semana antes? Uma depois?

“Tantas dúvidas, mudeuso! Pleciso de uma dedeira pla lelaxar…”

E que todos dizem que KLM é a rainha da cocada preta das companhias aéreas que sobrevoam o arco-íris rumo a Ilha Esmeralda é fato. Há, inclusive, boatos de que servem sorvete à vontade durante o voo. Outro fato é que a passagem aumentou cerca de 400 reais desde o saudoso dia em que fechei meu curso com a agência.
Mas há salvação: Iberia. Ou não. A Iberia tem um preço que cabe no bolso, mas e as recentes greves e problemas que a companhia aérea está enfrentando? Será que ela poderá sobrevoar o arco-íris também? A TAM está com preços ótimos, segundo minhas últimas pesquisas… mas a conexão na Europa é na Inglaterra. E se você acompanha este blog, já sabe que eu tenho pavor da imigração inglesa.

Dúvida 2: Pagar caro e garantir a viagem? Arriscar numa companhia barata? Testar imigração britânica novamente? O que fazer?

E agora, José? E agora, leitor?