Ravintolapäivä

O nome do post está em finlandês, mas não se assustem! Ravintolapäivä é o nome do evento que participei no último final de semana e quer dizer apenas Dia do Restaurante.

Este evento acontece em várias partes do mundo e a ideia é muito simples: pessoas comuns podem ter seu restaurante por um dia e vender o que fazem de melhor, com o diferencial que em Oulu, pelo menos, a ênfase é em comidas típicas dos países participantes. Eu achei a ideia muito interessante e gostei ainda mais da parte que isso poderia me render alguns euros, porque mesmo com tudo se ajeitando e a moeda baixando no Brasil, ainda não tá fácil gastar em euros o que eu juntei em reais. :/

Eu me inscrevi junto com aquelas duas amigas de sempre, a A. e a V., e apesar de cada uma participar com comidas do próprio país, elaboramos o cardápio, fizemos as compras e cozinhamos juntas.

Eu obviamente apelei pro forte do Brasil: os doces! Apesar de leite condensado ser algo muito caro e nem tão simples de se achar por essas terras, eu fiz brigadeiro, beijinho e bolo de cenoura com e sem cobertura de chocolate. Bolo de cenoura pode soar como algo bem comum, mas eu só vejo bolo de cenoura laranjão e com cobertura de chocolate no Brasil, em todos os outros lugares o bolo costuma ser meio marrom e tem um cobertura X nada a ver.

E passei um dia inteiro fazendo bolos, enrolando beijinhos e brigadeiros e no fim, tá dáááá:

Ficaram ótimos, modéstia à parte!
Ficaram ótimos, modéstia à parte!

No dia seguinte, saímos bem cedo debaixo de neve e cheias de comidinhas. O evento começou às 11h e no começo estava devagar quase parando e eu só fazendo cara de paisagem.

Brasilia é Brasil em finlandês
Brasilia é Brasil em finlandês

Mas quando comecei a vender, aí foi tudo! O bolo de cenoura e o brigadeiro esgotaram antes do fim do evento, mas os beijinhos não fizeram tanto sucesso quanto e precisei comer os poucos que sobraram.

Aliás, ficava muito feliz toda vez que alguém comprava um pedaço de bolo ou docinho e depois que comia, voltava para elogiar e comprar mais pra levar! Uma senhorinha comeu o bolo na minha frente e antes mesmo de terminar seu pedaço, já pediu mais dois pra viagem. Um casal de idosos levou um brigadeiro e um beijinho, comeram e voltaram pra levar mais pra viagem e me encher de elogios. 🙂

Foi nossa primeira vez num evento como este e acabamos cometendo alguns erros. Como na reunião pré-evento a organizadora não parava de falar que na última vez haviam recebido 2000 pessoas, logo pensamos que deveríamos fazer bastante comida. Não vendemos tudo e acabamos ficando muito mais tempo cozinhando do que o previsto e confesso que isso foi extremamente cansativo. Mas no fim, valeu muito a pena, pois foi algo completamente diferente, fiquei muito feliz com as boas vendas dos docinhos e a comida que sobrou, bem, comemos!

Que venha o próximo ravintolapäivä! 🙂

Comprovado: o brigadeiro ganhou o mundo

Depois daquele pedido discreto por um pouco de brrigadeirrrow, os desejos da Ella foram atendidos. Providenciei brigadeiro caseiro e também um pouco de beijinho. Não, não fui quem fiz.

Quando as encontrei na porta da escola, depois de felicitar a pequena aniversariante, as meninas só pensavam em uma coisa: cadê o brigadeiro? Elas não saberiam dizer meu nome se perguntassem, mas do brigadeiro elas não esqueceram. Fiz um mistério meio bobo e quando chegamos em casa, mandei todo mundo para cozinha e tirei o doce mágico da mochila.

Os olhos das pequenas irlandesas brilhavam. Acabaram com todo o brigadeiro em minutos. Estava muito bom, obrigada. Apresentei, então, o beijinho e expliquei como havia sido feito. Aí a história mudou um pouco. Passaram do olhar brigadeiramente alegre a desconfiança em poucos segundos ao verem o creme branco sobre a mesa. A mais velha, querendo ser a desbravadora de novos sabores, pediu que eu colocasse um pouco de beijinhow em seu prato. Experimentou sob o olhar curioso da irmã mais nova. Alguns momentos de tensão…

“Você gostou, Sophie?”
“Ah, não é tão ruim.”
“Beatriz, posso experimentar só um pouquinho do prato da Sophie?”

Com a falta de aprovação total da irmã mais velha, obviamente que a mais nova não aprovaria. O beijinho foi friamente rejeitado pelo paladar irlandês. Talvez o coco, matéria prima do doce, seja muito tropical para o gosto dos leprechauns.

Contudo, algo é certo: o brigadeiro ganhou o mundo.

Não foi a vez do beijinho