Neuras e Manias

O tema desta semana são neuras e manias. Eu posso falar de manias que tinha na Irlanda, porque é possível que lá eu tenha tido manias que aqui não tenho por conta de n motivos, já neuras é um pouco diferente: neura é neura e você tem em todo lugar, o que pode mudar é a intensidade. Mas vamos lá.

Semana 28 – Minhas neuras e manias

1- Acordar muito tarde aos domingos e fazer um “lundinner

Via de regra, eu não saía da cama antes das 13h aos domingos. Ou porque eu tinha saído na noite anterior ou porque havia ficado até tarde vendo filmes ou just because. Confesso que às vezes me arrependia porque é muito difícil aproveitar bem um domingo acordando tão tarde, mas para mim dormir é umas das melhores coisas da vida… haha! E acordando tarde assim e tomando café (porque eu nunca pulo o café-da-manhã), acabava fazendo um almoço-janta por volta das 17h e terminava o dia com um lanchinho. No frio era gostoso, no verão batia a vontade de dar uma volta a tarde.

2- Dar de cara com aranhas

Era uma neura que aqui eu não tenho por motivos de: no Brasil não temos tantas aranhas e tão gigantes como as irlandesas. Sempre tinha aquele medinho de ter uma aranha embaixo do edredom ou de ter uma passeando perto de mim enquanto eu dormia. Quando eu morava nos EUA, meu quarto era no porão, que apesar de ser super arrumadinho e limpo, tinha muitas aranhas que vinham de um storage room (eu tenho certeza absoluta que havia um ninho em algum lugar daquele quartinho). O carpete era claro e quantas e quantas vezes eu quase enfartei ao estar sentada na cama de boa e ver um ser razoavelmente grande preto de 8 patas (ou seriam pernas?) passando por debaixo da porta quarto adentro? Quantas aranhas não matei afogadas ao me surpreenderem durante o banho na cortina? Mas o terror mesmo foi no dia que eu acordei e havia uma teia de aranha entre o teto e a luminária que ficava no criado-mudo. Ah, a teia não estava lá quando fui dormir. É uma neura que aflora de acordo com as condições aracnídeas do lugar.

3- Separar os brasileiros dos europeus

Eu andava na rua observando as pessoas e tentando adivinhar, só de olhar, quem era brasileiro ou europeu. Brasileiros se vestem sim de forma muito diferente dos europeus, cortam o cabelo diferente, brasileiras têm cabelos e maquiagem diferente, sim, e acho que por mais que a pessoa tenha se “misturado” com a cultura local, vai acabar tendo algum sinal que denuncia, nem que seja uma característica física. Eu acertava na maioria das vezes que conseguia checar, tipo, ouvindo a pessoa falando português.

4- Hidratantes

Em Dublin venta muito e a longo prazo, é evidente o efeito de todo esse vento na nossa cara e cabelo. Até lembro uma vez que me meti a besta e fui na Debenhams testar cremes. A moça da Clinique fez um teste de pele comigo e disse que minha pele era muito boa, muito diferente da das irlandesas que sempre têm problema com ressecamento por conta do vento. E assim criei a mania de sempre passar hidratante no rosto de manhã e à noite, porque tomava banho quente e isso também resseca a pele. Um hábito bom adquirido por lá que mantenho aqui.

5- Me preocupar menos com minha aparência

Sério, em Dublin você pode sair na rua com metade do cabelo rosa e outra metade azul, calça de palhaço e camisa de turista cheia de flores que ninguém vai ficar te olhando. Brasileiras são infinitamente mais preocupadas com aparência, falando de modo geral, claro. Eu confesso que já fui ao mercado de pijamas algumas vezes e ninguém me olhou. Eu não usava maquiagem para ir cuidar das crianças (e olha que tenho um tremendo complexo por causa das minhas olheiras) e não me preocupava com isso. Bem, aqui no Brasil eu não consigo nem ir ao mercado sem passar um corretivo para dar uma disfarçada nos meus olhos de panda. Na verdade, a neura é daqui e lá eu consegui deixar pra lá. Pois é.

Publicidade

Coisas de Irlanda

*O interruptor fica do lado de fora do banheiro– Não sei por que causa, motivo, razão ou circunstância que em toda e qualquer residência irlandesa o interruptor fica do lado de fora. Além disso, não há tomadas no banheiro, ou seja, para  usar o secador ou passar a chapinha na cabeleira, arranje outro lugar.

*Não se dá sacola de plástico no mercado- Quando saí do Brasil ainda estava rolando aquele bafão dos grandes mercados querendo banir sacolinhas de plástico, tudo pelo bem financeiro da natureza. Bem, aqui na Irlanda você até pode sair do mercado com uma sacolinha, mas precisa pagar por ela. Seja como for, o pessoal aqui está tão acostumado com isso, que ou as pessoas levam suas compras em sacolas reutilizáveis ou em suas mochilas ou levam na mão (acredite, é normal ver gente andando na rua com leite, pão, caixinhas na mão). Os estabelecimentos que dão sacolas, como lojas de departamento, só fornecem sacolas de papel. É ecologicamente mais correto, mas num país que tem a fama de chover mais que em dilúvio bíblico, você pode ficar na mão se estiver voltando das suas comprinhas num dia de chuva (eu já fiquei!).

*As casas não têm tanque/área de serviço- Pense num tanque de lavar roupa. Isto parece algum tipo de invenção ultra moderna? Mas ela não chegou na Irlanda. As casas não tem área de serviço, portanto, não existem tanques! E adivinhe onde fica a máquina de lavar? Cozinha. Aí você se pergunta “E se eu quiser/precisar lavar uma roupa na mão, como faz?” E eu te digo “Quando descobrir a resposta, me conte, porque eu também não sei”. O que faço é sempre colocar roupas delicadas dentro de fronhas, assim evito que fiquem com bolinhas ou estraguem. Tem funcionado.

*A roupa seca dentro de casa- Se uma casa irlandesa não ter área de serviço não for algo suficientemente estranho para você, revelo que aqui roupa se seca dentro de casa. Talvez pelo fato de a chuva ser uma constante nesta terra, as pessoas tenham desistido de deixá-las secando ao ar livre. O fato é que é muito normal ir na casa de alguém e ver um varal portátil na sala. E não apenas na casa de intercambista pobre, a família para a qual trabalho também faz isso (e com certeza não é a única). Claro que algumas casas têm secadora, mas a menos que você tenha emagrecido e precise de roupas menores, não recomendo o uso deste artifício para ter roupas secas.

Toda casa de intercambista tem um!

*Fruta é cara, porcaria é barata- Enquanto você paga cerca de 2-3 euros numa caixa de morangos, cookies com gotas de chocolate da marca Tesco custam 43 centavos (é Tesco, mas é bom!). E, via de regra, a variedade de frutas é menor, a qualidade é inferior e o preço maior. Claro, sempre tem promoção por aí, é só saber procurar!

*Não pode escolher fruta na feira- Qualquer feirante sangue bom vai te deixar olhar bem as frutas e escolher aquelas que mais te apeteceram, amém? Não na Irlanda. Tente encostar nas frutas de um feirante que, no mínimo, ouvirá uma bronca muito mal educada (eu já ouvi). Aqui funciona assim: você diz o que quer e o dono da barraca escolhe e te entrega numa sacola. Aí, quando você chega em casa, descobre que aquela caixa de morangos custava só 1 euro porque a metade dela já estava muito boa… para ir para o lixo!

*Você paga para retirarem seu lixo- Há duas formas de dispensar seu lixo por aqui: você vai ao mercado e compra sacolas grandes e brancas e nela coloca apenas o lixo reciclável que é retirado sem nenhum custo. Aí, você também vai comprar sacolas pretas para o lixo não-reciclável e para que ele seja recolhido, você deve ir ao correio e comprar um adesivo que custa 3,50 euricos e colar na sacola. Dependendo de onde você morar, especialmente se for em prédios, esta taxa estará inclusa no aluguel ou já terá sido paga pelo landlord.

*As mulheres parecem Oompa Loompas- Você já assistiu “A Fantástica Fábrica de Chocolate”? Você lembra dos Oompa Loompas? Vou refrescar sua memória:

Oompa Loompa Doompadee Doo…

E o que isso tem a ver com as mulheres irlandesas? Elas, normalmente, são muito brancas e costumam ter sardas. Para disfarçar isso, elas usam maquiagem, correto? O problema é que elas compram base/pó uns dois tons mais escuros que a cor natural da pele para dar aquele ar “bronzeado” e acabam ficando com o rosto alaranjado, enquanto o resto do corpo continua branco. Algo muito comum de se ver nas rua de Dublin.

*Os prédios são baixos- Não sei se existe alguma lei ou é apenas a arquitetura, mas não há prédios realmente altos em Dublin. Comerciais ou residenciais, os prédios dificilmente têm mais do que 6 andares.

*Não tem janela no banheiro- Outro mistério irlandês. Os banheiros não têm janelas e precisam de um exaustor para dar um jeito na umidade do cômodo. Uma invenção muito mais simples que uma janela, claro. (Se bem que nos EUA funciona do mesmo jeito!).

*Não se vende bebida alcoólica depois das 22h- Além de supermercados e lojas de conveniência, há muitas lojas conhecidas como “off licences” (vendem apenas bebibas) espalhadas pela cidade. Em todos estes lugares é possível comprar bebida alcoólica, desde que você chegue antes das 22h. Quando o sino da igreja bate 10 vezes, off licences fecham e mercados lacram a seção de bebidas. É lei. Mas nos pubs você pode comprar bebida a qualquer hora. Ah, teoricamente, você precisa ter, no mínimo, 25 anos para comprar bebida no mercado. Mas nunca pediram meu documento (não que eu já tenha comprado, né?).

*Aranhas- Dizem que não existem cobras irlandesas, mas em compensação, o que tem de aranha nesta terra não está escrito. Não é nada difícil ver teias de aranha por aí e os moradores parecem não se incomodar com a presença destes seres de 8 pernas. Mas eu não curto.