Praticando o desapego – Roupas

Faltando 22 dias para embarcar, eis que já estou fora do mercado (vulgo desempregada) por iniciativa própria. Na verdade, ainda estou com algumas aulas, mas minha rotina está bem mais tranquila agora.

E faltando tão pouco para me mandar, já está na hora de começar a pensar em coisas como fazer as malas. Ainda não tentei fazer a minha, porque vamos combinar que eu já fiz intercâmbio antes e já sei bem como montá-la. O problema é que eu tenho muita roupa. Muita. Mas muita. (Não repare na bagunça).

O fantástico mundo de Bia

Não parece tanta? Assim como antes de ficar bonita, a gente fica feia (com os creminhos e cabelos em pé e tal), para arrumar, precisa desarrumar. Olha aí.

Minha fortuna está avaliada em roupas

Mas vou confessar que não consegui praticar tão bem o desapego. Saldo do dia: 3 jeans, 15 blusas/camisas e 2 malhas. Mas tenho certeza que quando for arrumar as malas, o espírito do desapego vai baixar mais forte. Oremos.

Desapego

Não tive esse problema quando fui ser au pair. O consumismo exacerbado de vestuário, aliás, teve início nos EUA, com seus outlets vendendo roupas à preço de banana e roupas de marca a preço de Brás. Não me culpe, culpe o Tim Sam.

A Irlanda vai curar ou piorar isso? Aguarde.

64

O que é esse número aí em cima, você quer saber. Já estou na contagem regressiva. 64 dias ou 2 meses e 2 dias e ta dããã: Bia indo para a terra dos leprechauns.

Peguei meu passaporte e aí percebi que ele estava diferente do antigo. Meu nome do meio, que antes aparecia junto com meu nome, no novo apareceu em sobrenome. Eh, eu sei que faz muito mais sentido, mas fiquei nervosa, achando que meu passaporte estava errado. Voltei na Polícia Federal e me informaram que agora estão mudando mesmo essa questão do sobrenome no passaporte. Então, tá. Mas se eu não embarcar… ai ai…

Já informei a agência a data do meu embarque e pedi para marcarem o início das minhas aula na ECM College para 30 de julho. Estou no aguardo da confirmação de matrícula e tudo mais.

O dólar e o euro continuam subindo o Everest. Vão chegar a Lua desse jeito. E eu vou ter que fingir que sou rica e comprar euricos euros caros. De qualquer forma, pretendo deixar essa parte de troca de dinheiro para os 45 do segundo tempo mesmo.

Seguro saúde vou providenciar semanas antes da viagem.

No mês de julho estarei de férias definitivas da maioria dos meus trabalhos (eu trabalho em vários lugares e em alguns deles, provavelmente trabalharei até a semana antes do embarque) e vou poder planejar bem tudo que estiver faltando.

Eh, o intercâmbio está cada vez mais real.

Sobre passaporte e passagens aéreas

Na semana que passou risquei mais dois itens da minha to do list: passaporte e passagens aéreas.

Agendei a renovação do meu passaporte e desta vez foi bem diferente. Eu comentei aqui como fiquei uma manhã inteira na Polícia Federal para tirar meu passaporte em 2007. Desta vez, em 40 minutos checaram meus documentos, aguardei minha vez, tirei as digitais e a foto e voilá: passaporte renovado. Outra diferença é que da primeira vez, eu precisei esperar o email de confirmação para retirar o passaporte e agora já saí de lá com o protocolo com a data em que devo ir retirá-lo.

Depois de muita angústia, desespero, ódio mortal da alta do dólar, arrependimento por não ter comprado na época que o mesmo dólar estava descendo as cataratas, finalmente comprei minhas passagens para Dublin. Yay!

É uma verdade universalmente conhecida que… ops, baixou uma Jane Austen aqui. Voltando. Algumas companhias aéreas oferecem a passagem de estudante, que ao contrário do que você está pensando agora, não significa que você vai comprar o ticket para terra dos leprechauns com 50% de desconto. A passagem de estudante, que pode até mesmo ser mais cara que a comum, tem a vantagem de oferecer remarcação gratuita do bilhete. Mas os preços das companhias que oferecem este tipo de passagem estavam nas alturas. Pesquisando bem, achei passagens da Lufthansa por um preço bem camarada e resolvi comprar a passagem comum. Isso mesmo, estou com a passagem comprada! Embarco dia 23 de julho rumo às ilhas verdes!

Aos poucos, o intercâmbio vai ganhando forma!

O andar da carruagem

Eu já contei que fechei o curso com a agência. Mas isso já foi há um mês e meio. E depois disso, dona Bia?

Bem, basicamente eu só preciso fazer 3 coisas agora: comprar a passagem aérea, contratar o seguro saúde e comprar Euros. Na verdade, preciso fazer mil coisas, mas as essenciais são essas.

Na semana que contratei o curso, o Euro e o Dólar estavam pulando de bungee jump. Mas eu pensei “Ahhh… está longe ainda, vou esperar um pouco mais”. E a gente sabe que quando se pula de bungee jump, a corda estica e desce, mas em seguida ela sobe, não é? Euro e Dólar subiram e até agora estão lá em cima. Resultado: passagem aérea nas alturas e uma dorzinha no bolso por ter que pagar mais em tudo. Por que o Real não manda no mundo, hein? ¬¬

“Para o alto e avante!”

No momento, estou cotando passagens aéreas por aí e acompanhando o câmbio diariamente para saber se a dupla Euro e Dólar resolveram pular de paraquedas. A má noticia é que eles parecem estar escalando o Everest. Como ainda tenho 3,5 meses até a viagem, ainda não há motivo para pânico. Ainda.

“Bia, você está ansiosa?”
Não, nem um pouco. Mais ou menos nessa mesma época, em 2008, eu já estava com tudo acertado para ir para Denver no fim daquele julho e estava tão calma quanto uma pessoa poderia estar. Eu só piro fico ansiosa no dia mesmo. E eu tenho trabalhado tanto ultimamente que nem tempo para isso estou tendo.

That’s all, folks! Volto quando tiver mais novidades. Mentira. Volto antes para falar de mais curiosidades e cultura.

Agências – Parte 2

E eu continuei pesquisando agências…

CI
Fui a CI pelo mesmo motivo que fui a EF: é perto do trabalho. O atendimento não foi dos melhores. Foi muito impessoal, não senti na representante a vontade de me vender o curso (talvez ela tenha achado que eu não tenho cara de quem tem dinheiro pra ir pra Europa, vai saber?), mas como ela me falou que já havia morado na Irlanda por 3 anos, fiz algumas perguntas e daí surgiram novas perspectivas sobre trabalho e estudos no país que não haviam me ocorrido antes. Por este lado, a visita foi válida.
Vantagens: agência top no mesmo estilo EF e Experimento
Desvantagens: preço muito acima do mercado, atendimento regular

STB
O atendimento da STB foi excelente! A representante que me atendeu me explicou tudo muito bem e deu várias sugestões. Mas, novamente, a STB também faz parte das agências tops que só trabalham com escolas conceituadas e caras. E além disso, quando visitei a agência, já havia escolhido a ECM e a STB não tem convênio com a escola.
Vantagens: agência top, bom atendimento
Desvantagens: preço acima da média

Oh, dúvida cruel!

Egali
Egali. Um dia estava esperando o ônibus dentro da faculdade e vi um cartaz deles afixado no ponto. Cheguei em casa, acessei o site e agendei uma visita. O atendimento foi muito bom, nenhuma reclamação. O problema foi depois… Esta agência oferece a “Egali House” que é uma acomodação própria e tenta, à todo custo, empurrá-la ao futuro intercambista (eles te mostram as outras opções, mas querem fechar seu pacote com a Egali House). Eu comecei a não gostar da agência quando o representante passou a mandar emails querendo marcar data para eu fechar o programa, sempre argumentando que as vagas na acomodação estavam acabando para a data que eu queria (e o engraçado é que por mais que eu enrolasse para ir, as vagas nunca acabavam). Não bastasse isso, argumentava também que os preços das escolas aumentariam para 2012 e era melhor eu garantir o preço atual. Eu, absolutamente, concordo que a agência deva entrar em contato com um possível cliente e perguntar como vai seu planejamento (como quase todas as agências fizeram comigo), que deva informar questões de valores (promoções, aumentos etc) e sanar dúvidas; mas discordo  da abordagem que esta agência teve comigo. Creio que toda e qualquer agência deva vender seu produto pela qualidade e/ou preço e isso basta. Tentar fazer o cliente acelerar o fechamento do pacote com tais argumentos (“vem logo, senão as vagas acabam”, “feche logo, senão o preço da escola aumenta”) não é legal. Mandei um email para a agência relatando tudo isso, mas a resposta não foi convincente, simplesmente porque dentre todas as agências que visitei, esta foi a única que teve tal atitude.
Vantagens: suporte da agência em Dublin, unidades em vários estados do Brasil
Desvantagens: as descritas acima

AGBR
Lembro-me como fiquei sabendo sobre a Irlanda. Trabalhava num lugar onde umas das funcionárias havia morado mais de 1 ano na Ilha Esmeralda e numa conversa eu perguntei por qual agência ela havia ido. “Uma pequena, chamada AGBR”. Por curiosidade, busquei o site da agência na internet e mandei um email pedindo um orçamento. Achei o valor do pacote muito atrativo, mas naquela época o segundo intercâmbio ainda era um plano para um futuro meio distante e incerto.
Depois de pesquisar todas essas agências, resolvi tentar fechar direto com a escola. Então, conheci algumas pessoas que já tinham fechado o pacote com a AGBR e resolvi contatá-la novamente. Marquei uma visita e gostei muito do atendimento e do preço. Levei uns 10 dias para me decidir (mandei alguns emails tirando dúvidas nesse meio-tempo) e então, voltei e assinei o contrato. É uma agência simples, mas com um atendimento muito bom e até o momento, não tenho reclamações. Fui bem atendida e me senti à vontade para decidir quando voltar lá para assinar contrato e decidir outros detalhes do intercâmbio. Não tentaram me empurrar mais tempo de acomodação ou um plano caro de seguro saúde.
Vantagens: atendimento, preço, muitas opções de escolas
Desvantagens:  apenas duas unidades no Brasil

E esta foi minha saga para encontrar a batida agência perfeita!

Quero destacar que estas foram minhas experiências com cada agência e quando se trata de serviços ou até mesmo produtos, cada indivíduo pode ter uma diferente. Eu, por exemplo, nunca mais vou comprar um celular da Motorola porque já comprei um aparelho desta marca que me deu muita dor de cabeça, mas conheço pessoas que usam e gostam dela. Minha experiência não foi boa. Assim também funciona com as agências: algumas pessoas terão ótimas experiências e outras, não. Claro, vale pesquisar a idoneidade da agência e consultar pessoas que já utilizaram os serviços. Eu, por exemplo, chequei o CNPJ de todas as agências e pedi cópia dos contratos. Você não está comprando um Yakult no mercado, está concretizando um objetivo. Pesquisar nunca é demais.