Como se divertir em Oulu?

No comecinho do ano, eu pedi sugestões de temas para postar no blog. Uma delas foi falar um pouco sobre como as pessoas se divertem em Oulu, esta cidade pacata. E justamente por ser uma cidade pequena, as opções nem se comparam com São Paulo, mas isto não significa que não tenha nada para se fazer na cidade. Eu vou separar o post entre as coisas que eu faço (tentem não morrer de tédio lendo) e as outras opções da cidade.

Não sei se quem acompanha o blog consegue pegar as coisas no ar ou ler as entrelinhas, mas quem não tem este dom, eu confesso logo: eu não sou a pessoa que vai para baladas, que vira a noite num bar ou que festeja como se não houvesse amanhã. Eu nunca fui este tipo de pessoa, mas quando era um pouco mais nova eu até frequentava baladas e bares tipo 1-2 vezes por mês, mas hoje em dia, muito obrigada, eu passo. Mas se você é este tipo de pessoa, Oulu ainda é uma cidade universitária e os alunos da graduação e os intercambistas, em geral, adoram esse tipo de programa. Há duas opções para quem gosta de curtir a noite: frequentar os lugares próximos a universidade ou ir ao centro, que fica a apenas 6km de distância.

Para quem prefere ficar na região da universidade, tem um bar muito popular que costuma fazer festas temáticas (festa espanhola, caribenha, brasileira etc) e tem preços mais camaradas para estudantes. Para vocês verem meu nível de empolgação, o bar/balada fica a, literalmente, 3 minutos a pé da minha casa e eu consegui passar 9 meses em Oulu sem frequentar o lugar, “dando um perdido” nos inúmeros convites que já recebi para conferir uma balada lá. A outra opção é um prédio da região que faz tanta festa que é conhecido como o “Club 16”. Na verdade, o pessoal costuma ir lá fazer o famoso “esquenta” e de lá ir para outra balada. É onde os intercambistas do Erasmus são alocados, normalmente.

Quem opta pelo centro, tem até que bastante opção de bares, incluindo ambientes gay-friendly, e confesso que certa vez, ao passar pelo centro por volta das 2h da manhã de ônibus (voltando de Rovaniemi, jamais que estaria voltando da balada… haha) fiquei impressionada com a quantidade de pessoas nas ruas. Oulu até que é agitada.

Para quem gosta de comer fora, bem, não é exatamente o local mais barato para isso. Confesso que isso também é algo que fiz poucas vezes e o que ouço falar é que os restaurantes também não são lá essas coisas. Claro que tudo depende de gosto e dos padrões de cada um. Eu sou de São Paulo, uma cidade que tem restaurante de todo tipo e preço, e eu costumava comer fora todo final de semana, sempre tentando conhecer restaurantes novos. Tem um restaurante bem famosinho que vende panquecas (não as nossas panquecas, estão mais para as americanas, porém, oferecem opções salgadas também) e todo mundo de Oulu super indica o local, fazendo críticas super positivas. Bem, fui lá, paguei 9 f*cking euros por uma panqueca e achei muito meia-boca. Mas meus colegas de turma americanos têm até “cartão fidelidade” do local, pois endeusam a tal panqueca. Gostos, né?

A famosa panqueca
A famosa panqueca

Para quem curte cinema, há poucos na cidade e o preço começa em 7 euros para a matinê durante a semana. O ingresso para um final de semana a noite pode custar 15 euros – e 15 euros é mais de 60 reais pra mim que não tenho bolsa de estudos, então, não, nunca fui ao cinema na cidade. Assistir filmes no conforto da minha cama é muito mais aconchegante. 😉

O primeiro shopping de verdade da cidade foi inaugurado há menos de 2 meses. Acho até injusto basear meu julgamento do local baseado nos shoppings de São Paulo – acho que a cidade com mais shopping centers por habitante do mundo… hahaha -, mas o lugar não me empolgou nem um pouco.

Agora que já dei as opções do que eu não faço, é bom contar o que eu faço para me divertir, senão vocês vão achar que tenho fobia social e só saio do meu quarto para me alimentar.

Para resumir bem a minha vida social em Oulu, eu diria que basicamente eu me divirto indo em “house parties” que não são exatamente festas para as pessoas beberem, mas para comerem! Foram incontáveis encontros com meus colegas de turma, amigos brasileiros e conhecidos de outros lugares, todos envolvendo um grupo de pessoas debaixo do mesmo teto comendo e bebendo e, por vezes, jogando! Talvez isto também explique os quilinhos que ganhei na Finlândia, mas enfim… são programas descontraídos para esquecer um pouco a pressão do mestrado e rir com amigos e conhecidos.

Dá para se divertir apenas encontrando amigos na beira do lago
Dá para se divertir apenas encontrando amigos na beira do lago

Outros “eventos sociais” incluem: correr em volta do lago, ir a praia/lago ver aurora boreal à noite, fazer picnic, jantar na casa de amigos etc. Mas, no fim, confesso que são tantos os finais de semana que fico “presa” dentro do meu quarto com meus trabalhos que nem sempre dá para ter vida social. Ter um diploma de mestre tem suas renúncias também!

Anúncios

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s