Um dia em Chester

Chester é uma cidadezinha que fica a mais ou menos 40 minutos de trem de Liverpool. O R. queria visitar esta cidade há algum tempo e acabou me convencendo a ir. Na verdade mesmo, eu queria ter conhecido Manchester, que é a cidade onde a banda The Smiths nasceu, a saber, minha banda preferida. Porém, O R. já havia visitado o lugar e disse que não era legal, pois era uma cidade industrial e meio feia. Um outro brasileiro disse que era muito similar a Liverpool, porém maior e o comentário foi feito fazendo careta. Então, achei que talvez não fosse tão interessante conhecer a cidade, mas confesso que hoje bate um arrependimento – poxa, queria mesmo visitar a cidade da minha banda preferida! haha… Quem sabe eu não voltou ao Reino Unido mais uma vez no futuro?

Pagamos 5 libras no ticket de ida e volta para Chester, que foi fundada como uma fortaleza romana logo no início da era cristã e é famosa por ainda manter seus muros.

Parte dos muros com o relógio da cidade
Parte dos muros com o relógio da cidade

Começamos visitando a Catedral de Chester, que tem entrada gratuita, mas oferece tours pagos. É uma catedral bem antiga e como muitas construções antigas, ela conserva partes ainda da construção original e outras mais recentes e na igreja inteira há placas explicando o que cada área é e em que era foi construída.

Algo que me chamou a atenção não só lá, mas em todas as atrações/catedrais gratuitas que visitei é que embora não se cobre para entrar, todos os lugares sugerem que você doe entre 2 e 3 libras para ajudar a manter a visitação gratuita. Oi? Eu entendo que os locais tenham despesas, mas é muito estranho sugerir que você deve doar e ainda o valor.

Saímos da catedral e resolvemos andar nos muros em volta da cidade. Passamos por pontes antigas (como da foto abaixo), pela Universidade de Chester e chegamos no Castelo de Chester apenas para descobrir que ele só abre no verão. Ok, fazer o que? Seguimos para o Museu de Chester, que conta a história da cidade desde sua fundação.

20160308_131419

Ficamos umas boas horas dentro do museu. Achei alguns fatos contados lá interessantes. Por volta do século 19, por exemplo, era comum as famílias ricas terem uma empregada… mas o que chamou a atenção é que essas empregadas começavam a trabalhar ainda na pré-adolescência, ganhavam cerca de 5 libras por ano e dormiam na cozinha! Outro fato é que na mesma época, apesar do já chá fazer parte da tradição inglesa, era extremamente caro. Então, as pessoas guardavam as ervas e reaproveitavam para fazer mais chá! E pensar que hoje em dia é tão barato e a gente consome sem dar atenção alguma.

Saímos do museu, andamos um pouco mais pela cidade e bem, já não havia muito mais o que se ver. Demos uma passada na Primark, porque eu ainda estava querendo matar saudade de saber o que é entrar numa loja e ver coisas novas muito baratas. há! E pegamos o trem de volta a Liverpool.

Chester é uma cidade romana histórica bem pequena e a visita vale a pena se você estiver pelos lados de Liverpool e já tiver visitado tudo que queria.

Anúncios

4 comentários sobre “Um dia em Chester

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s