Rússia

Eu fiquei praticamente 9 dias na Rússia e conheci as duas maiores e mais famosas cidades do maior país do mundo e para finalizar os posts sobre a viagem vale um último de wrap-up para falar de detalhes que passaram batido na saga toda narrada aqui no blog e das minhas impressões, sugestões e fazer um resumão também, por que não?

Imigração e registro para brasileiros

Brasileiros não precisam de visto para entrar na Rússia como turistas e podem ficar até 90 dias. A imigração é chatinha, mas tranquila – eles não pedem para ver comprovante de acomodação, passagem de saída do país ou comprovar fundos e não fazem perguntas, não para quem entra por terra, mas imagino que no aeroporto seja um pouco diferente. Recebemos um cartão de imigração com duas vias, um fica retido na entrada e o outro devolvido na saída e o cartão deve ficar com o turista o tempo todo. É necessário se cadastrar na imigração em cada cidade que o turista ficar por mais de 7 dias úteis. O registro pode ser feito no hotel/hostel ou nos correios.

O estilo russo

Eu não sabia, mas as mulheres russas têm fama de serem lindas – e eu acho isso a maior besteira, porque tem mulheres de todos os tamanhos, cores e formas em qualquer nacionalidade. Eu já havia conhecido mulheres russas no Brasil e elas são tão normais quanto eu e você. Mas o que me chamou mesmo a atenção foi o estilo da maioria delas! Elas são muito cuidadosas com o visual e estilosas, falando de modo geral, claro.

Eu dando uma de paparazzi atrás de uma russa aleatória
Dando uma de paparazzo com uma russa aleatória

Eu bem que queria ter tirados várias fotos para mostrar todo o estilo, mas vocês vão ter que se contentar com esta foto aí em cima, pois ainda não tenho o dom de paparazzo desenvolvido. Observem que era um dia de chuva, fazia uns 4 graus e ventava. Eu estava de calça, bota, casacão, touca e estilo zero. A moça está de meia fina, uma saia básica, porém linda, salto e casaco. E usar saia com meia fina neste tempo parece ser algo comum, pois vi muitas russas assim. É claro que para quem está acostumado a pegar -30 no inverno, temperatura positiva é verão, mas que mulheres estilosas! Mesmo com casacões, que geralmente tem muitos pelinhos na touca para se proteger da neve, elas continuavam cheias de estilo.

O metrô

O metrô russo é famoso por alguns motivos, tanto o de São Petersburgo quanto o de Moscou. O primeiro motivo é pela sua beleza, pois as estações são verdadeiras obras de arte e/ou arquitetura. São painéis, lustres, pinturas e outros detalhes que fazem andar de metrô por lá uma experiência à parte.

Em São Petersburgo
Em São Petersburgo

Como já citei em outros posts, tem empresas que fazem tours pagos pelas estações mais bonitas, mas não é difícil fazer o passeio sozinho se você tiver paciência. O ideal é tentar escolher horários mais tranquilos, mas para ser honesta, dos quase 9 dias de Rússia pegando metrô, só vi as estações relativamente vazias às 6h da manhã, pois mesmo num sábado à noite, que foi quando decidimos fazer nosso próprio tour, as estações de Moscou estavam lotadas! Eu não vou publicar aqui uma lista das principais estações porque 1) Todas tem algo de especial, um detalhe, uma gravura, as paredes, enfim, acredito que a maioria tenha algo de belo para ser apreciado e 2) Eu peguei minha listinha de sites aleatórios que achei no Google e sinto que se eu reproduzisse a lista aqui estaria de alguma forma plagiando conteúdo de outros blogs, afinal, não posso dizer que são minhas recomendação, não é?

Outro detalhe do metrô russo é a profundidade! Você começa a descer pela escada rolante e parece que ela não tem mais fim. Na ú20151223_124320ltima estação de metrô que pegamos para ir até a rodoviária resolvi usar o stopwatch do celular para saber quanto tempo levaria a descida: quase 2 minutos e meio! Fora que em algumas estações depois da escada rolante ainda é necessário descer outros lances de escada. Além disso, no pé de toda escada rolante tem uma pequena cabine com uma funcionária (eram sempre mulheres) usando um uniforme que parece ter sido desenhado nos anos 60 e eu fiquei realmente curiosa para saber o que elas fazem lá, pois não vi sentido.

O valor do bilhete é relativamente baixo, 31 rublos em São Petersburgo e 50 em Moscou pagando em dinheiro. Na primeira cidade, eles te dão um token para usar na catraca e na segunda, um bilhete descartável de uma viagem. Em Moscou o nome de todas as estações está apenas no alfabeto cirílico e em São Petersburgo, no alfabeto latino também.

Trem soviético
Trem soviético

Finalmente, apesar de as estações serem lindas, os trens são bem antigos, da época da união soviética ainda. Estão bem conservados, mas é notável que são mais velhos do que eu que nasci nos anos 80, por exemplo. Apesar disso, tem wifi gratuito – que eu não consegui usar, pois para se conectar é necessário cadastrar seu número de celular para receber um código via sms. Eu só estava com meu chip finlandês e isso não deu muito certo.

Vale a pena reservar uma tarde da sua viagem para conhecer o metrô, especialmente o de Moscou e o Google te ajuda a montar sua listinha! 🙂

Os russos

Eu sei que generalizar é burro, então eu quero deixar claro que não estou dizendo que todos os seres humanos nascidos na Rússia são assim, mas que minha experiência como turista e precisando lidar com russos em diversos lugares me passou essa impressão deles de modo geral. Os russos com os quais eu lidei e que, de algum modo, estavam me prestando algum serviço, como os guias de ambos os walking tours e o staff dos dois primeiros hostels foram bem simpáticos e prestativos, mas todo o resto foi frio, apático e até rude. Naquele programa que mostra a vida de brasileiros que vivem por esse mundão, no episódio sobre Moscou, uma das brasileiras participantes disse que a cultura deles é ser grosso de primeira e ficarem simpáticos depois de te conhecerem, o que é exatamente o oposto da cultura brasileira: via de regra, primeiro tentamos ser simpáticos e gentis com quem acabamos de conhecer e depois, se houver algum motivo, vem a antipatia. Pois foi assim mesmo que me senti tratada pelos russos: com indiferença, antipatia e falta de paciência, especialmente quando começavam a falar comigo em russo e notavam que, contrariando todas as regras porque hoje em dia todo mundo fala russo eu não compreendia e vi muitas viradas de olho pra mim. Infelizmente, não têm a fama de ser um povo carismático e receptivo!

O inglês dos russos – ou a falta dele

Já pensou como um estrangeiro se sente no Brasil chegando sem saber falar português e tentando usar inglês para se comunicar? A realidade é que no Brasil as pessoas não falam inglês e cerca de 5% da população consegue se comunicar fluentemente na língua. Eu não precisei imaginar, pois tenho certeza que é a mesma situação que passei na Rússia, onde pouquíssimas pessoas conseguem se comunicar no idioma. Com exceção do staff do hostel e dos guias do walking tour, todo resto falava de nada a muito pouco e em algumas situações a comunicação foi feita por sinais. Mas como eles recebem turistas, havia pelo menos a tentativa de escrever avisos em inglês… Confira!

No hostel, errinho de leve.
No hostel, errinho de leve.

Algumas coisas soavam até engraçadinhas.

Pois é!
Pois é!

Tudo em cirílico

Ué, o capitalismo chegou aqui?! *ironia*
Ué, o capitalismo chegou aqui?! *ironia*

Que o russo usa o alfabeto cirílico toda mundo sabe, mas ainda assim é estranho ver nomes de redes de fast food ou cafés com placas no alfabeto!

20151222_102637

Se não fosse pelos logos mundialmente conhecidos, alguns lugares poderiam até passar batido.

20151222_103748

Putin everywhere

Achei muito peculiar ver a cara do Putin estampada em todo lugar! Canecas, bonecas russas, camisetas etc. Segundo o vendedor de uma das lojas que entramos, os turistas gostam de comprar e muitas pessoas o admiram. Então tá.

Vai uma camiseta do Putin?
Vai uma camiseta do Putin?

“Pega turista”

É muito comum ver pessoas nas ruas vestidas como pessoas famosas da história, como Lênin ou Catarina, a grande ou ainda pessoas com pombas adestradas. Elas são muito insistentes e, obviamente, querem dinheiro para tirar foto com você. Se você é o tipo de pessoa que curte isso, muito bom, mas se não, faça como eu e finja que nem os viu, do contrário eles insistem mesmo. Finja que nem inglês fala!

E assim acaba a série de posts sobre minha última viagem! 🙂

Até mais, Rússia!
Até mais, Rússia!
Anúncios

6 comentários sobre “Rússia

  1. Nossa! Tava atrasada nas leituras dos posts aqui! Mas oh, que viagem, hein?
    Nunca tinha lido um relato de viagem na Rússia, confesso que fiquei com medo da impaciência dos russos (demoro horas pra decidir o que vou pedir em restaurantes) mas me deu muita vontade de conhecer.

  2. Legal sua sequência de posts sobre a viagem pela Rússia, deu pra conhecer um pouco e dar um pouquinho de vontade de conhecer (ainda tenho mixed feelings por lá).
    Agora engraçada essa questão do primeiro momento antipático quee depois se inverte, pois foi EXATAMENTE o que senti com meus housemates da Moldávia (parte da antiga União Soviética). No primeiro dia achei o cara super antipático, e hoje vivemos de ficar falando coisas engraçadas um pro outro. O primeiro “oi” ou “bom dia” deles é sempre de cara amarrada – independente da hora do dia -, e INÚMERAS vezes achei que tinha acontecido algum problema, até me acostumar. Ainda assim, adoro vivenciar essas diferenças que fazem a gente ver o quanto esse mundão é maluco e fantástico!

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s