Moscou – Lênin, museu e Praça Vermelha

No nosso último dia em Moscou, finalmente conseguimos entrar no Mausoléu do Lênin. O dia começou um pouco mais frio e com sleet, aquela neve molhada que cai e vira água, mas nada que nos atrapalhasse.

O mausoléu fica na Praça Vermelha, sempre muito bem vigiado. A fila não estava muito longa e logo passamos pela segurança e, por incrível que pareça, podemos entrar com câmera e mochilas. A última morada de Lênin foi construída de madeira logo depois de sua morte em 1924 e só em 1930 o mausoléu que está lá hoje foi construído. Há rumores que o que está lá não é mais seu corpo embalsamado, mas um boneco de cera. Será?

O mausoléu e os turistas
O mausoléu e os turistas

Mas não pense que vai poder ficar lá horas olhando o corpo embalsamado (ou boneco de cera)! Depois que você entra na fila para visitar o local só sai quando a visita terminou. Não é permitido parar e olhar, a fila entra e dá a volta no caixão de vidro até sair e ai se você resolver parar um pouquinho só! Um soldado russo vai prontamente berrar com você. Além disso, é bem escuro e se o dia não estiver nublado como no dia que visitei, até seus olhos se acostumarem com a escuridão, você já deu a volta e saiu. Não é permitido tirar fotos, obviamente, mas a visita vale a pena, afinal, se você já chegou na Rússia, por que não entraria no mausoléu?

Parte externa
Parte externa

Saímos e ainda na Praça Vermelha fica o Museu Histórico Russo, que nem estava nos nossos planos visitar, mas como sobrou um tempinho (já que outros passeios foram tirados da lista) resolvemos entrar e foi uma ótima decisão! Eu amei este museu!

O museu o Christmas masket
O museu e o Christmas market numa tarde linda de sol

Apesar de a maioria das coisas não estar traduzida para o inglês (e eu não falar russo), achei o museu incrível! Conta toda a história da Rússia, como o próprio nome sugere, mas o museu em si já é uma obra de arte. Eu fiquei realmente admirada com a beleza do museu, não só por fora, mas por dentro também.

Lindo, não?
Lindo, não?

Ficamos umas boas horas lá dentro. Saímos, demos mais uma olhada na igreja que fica bem ao lado (Kazan) e voltamos ao famoso shopping subterrâneo para almoçar. Quando saímos, o dia cinza estava ensolarado e ficamos olhando aquela linda parte da cidade antes de voltarmos ao hostel. Aliás, a Praça Vermelha, onde ficam o Kremlin, Museu Histórico Russo, shopping Gum, Catedral de São Basílio e outras atrações, não tem este nome por causa da cor dos muros do Kremlin! A cor original dos muros, aliás, era branco. Segundo nossa guia, a palavra em russo que significa vermelho, também quer dizer bonito, então seria também a Praça Bonita. Interessante, não?

Sol, como não amar?
Sol, como não amar?

Moscou é realmente uma cidade linda e cheia de opções de passeios. Eu tenho a impressão que se fôssemos ficar lá 10 dias, teríamos o que fazer em todos eles. Alguns passeios ficaram de fora por diversos motivos. Financeiros, como assistir um balé ou fazer um tour no Bolshoi (absurdamente caro) ou visitar um bunker onde fica o museu da guerra fria, que além de caro, lemos no tripadvisor que a visita não valia o valor. Falta de tempo, como a Universidade de Moscou ou os parques que fomos, mas durante o dia. Falando na Universidade de Moscou, há alguns prédios muito parecidos com o dela na cidade, como este:

!!!
!!!

E quando eu os vi, achei muito familiar. Pesquisando sobre a universidade no Google, descobri que há 7 prédios do mesmo estilo na Rússia e 1 na Polônia, que foi presente de Stalin. E os achei familiar justamente porque lembrei de um prédio meio feio que vi quando visitei Varsóvia.

O prédio de Varsóvia. Bem parecido, não?
O prédio de Varsóvia. Bem parecido, não?

Do hostel fomos para o aeroporto pegar nosso voo de volta a São Petersburgo, mas desta vez não fomos de expresso. Chegamos num aeroporto, mas voltamos de outro, o Domodedovo e para chegar lá de transporte público é bem simples, barato e relativamente rápido. É só pegar o metrô até a estação Paveletskaya e de lá pegar o ônibus que sair para o aeroporto. O trajeto todo custou 80 rublos (ou cerca de 1 euro) e funcionou bem.

Nosso voo foi tranquilo, mas curioso. Havia esse homem enorme e já nos late 40s que não parava quieto! O avião pronto para decolar, aquele momento que todo mundo sabe que deve estar sentado com os cintos apertados, e ele levanta para fuçar  no compartimento de bagagem! Veio o comissário de bordo e pediu para ele se sentar e enfim, a cena se repetiu algumas vezes no voo, mas fora isso, tudo certo.

Chegamos já por volta de meia-noite e decidimos passar a noite no aeroporto que, felizmente, contava com bancos bem confortáveis.

Adoramos Moscou e partimos para nosso último dia de viagem, nos despedindo da Rússia em São Petersburgo.

Parece que vai ter Copa lá em 2018...
Parece que vai ter Copa lá em 2018…
Anúncios

5 comentários sobre “Moscou – Lênin, museu e Praça Vermelha

    1. Bia

      Não é? Eu vi aqueles prédios e senti que não me eram estranhos e quando finalmente encontrei a conexão, fiquei surpresa com isso e com minha memória!

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s