Moscou – souvenirs, parques e metrô

Já era o 8º dia de viagem e o cansaço ia batendo, a vontade de ficar até tarde na cama chegando, mas havia uma Moscou toda (ok, só a região turística) a ser explorada. O plano do dia era visitar o Mausoléu de Lênin, que fica aberto apenas das 10 às 13h, exceto às segundas e sextas. Fomos a pé até a Praça Vermelha e surpresa: tudo interditado! Muitos policiais, segurança e ruas bloqueadas e ninguém sabia informar o que estava acontecendo, só sabíamos que o bloqueio acabaria apenas às 18h30 daquele dia. Plano frustrado (e até hoje não sabemos o que estava acontecendo), fomos visitar uma última catedral moscovita, a Catedral de Cristo Salvador. E pra isso, demos uma super volta, porque todas as ruas próximas da Praça Vermelha estavam bloqueadas mesmo!

Catedral de Cristo Salvador
Catedral de Cristo Salvador

A entrada é gratuita e não é permitido fotografar por dentro. Como todas as outras catedrais e igrejas ortodoxas que entramos, não há bancos e os fiéis a todo momento fazem orações e o sinal da cruz, além de as mulheres cobrirem a cabeça (inclusive eu em respeito). E de todas as igrejas que havíamos visitado até então, esta era a mais bonita por dentro. A catedral é muito grande e ainda tem o subsolo com várias gravuras da vida de Jesus. Uma coisa que o R. notou é que diferente da igreja católica romana, nas ortodoxas pouco vimos imagens de Jesus crucificado, sendo que em algumas delas nem havia qualquer gravura da crucificação.  Apesar de eu não ser fã de catedrais e igrejas (e vocês já não aguentam mais ler isso), eu recomendo visitar esta porque é realmente muito bonita e é gratuita.

De lá seguimos para a Rua Arbat, uma famosa rua de compras e onde estão as lojinhas de souvenir. Era sábado, mas a rua não estava muito movimentada, o que foi bom, já que podemos entrar nas lojas tranquilamente e olhar tudo.

Prédio curioso na esquina da Rua Arbat
Prédio curioso na esquina da Rua Arbat

A maioria das lojas vende a mesma coisa: bonecas russas de todos os tipos, tamanhos e cores, postais, chaveiros, imãs de geladeira e artigos diversos com a cara do Putin (oi?). Numa das lojas o vendedor, quando descobriu que éramos brasileiros, veio logo nos mostrar isso:

Bonecas russas de jogadores brasileiros
Bonecas russas de jogadores brasileiros

E a criatividade não para por aí. Também vimos isto:

Tem gosto pra tudo, não é mesmo?
Tem gosto pra tudo, não é mesmo?

Os preços das lembrancinhas não varia muito de uma loja para outra e nem os souvernirs, mas como fomos andando a rua toda e entrando em todas as lojinhas, encontramos uma que estava vendendo quase tudo pela metade do preço e compramos algumas besteirinhas lá. Depois entramos numa loja com mil opções de bonecas russas e uma funcionária muito gentil (a saber, oriental, não russa), nos mostrou os modelos, explicou as diferenças, deu sugestões e ainda nos deu um desconto legal e brinde. Foi nesta loja que comprei minha matryoshka linda. Recomendo.

A tal loja
A tal loja

A matryoshka, boneca russa, são as bonecas de madeira que se encaixam uma dentro da outra. O nome em russo significa “matrona” no diminutivo, e apesar de estar tão ligada a cultura russa, segundo nossa guia do walking tour, sua origem é japonesa e só chegou no país em 1890. A mais tradicional representa a família, então a primeira de fora pra dentro seria a mãe, depois o pai e depois viriam os filhos e, além disso, o formato da boneca precisa ser mais “rechonchudo” para remeter a fertilidade e família. Mas como vocês viram, hoje em dia tem de topo tipo, estilo, tamanho e cor.

Continuamos seguindo pela Rua Arbat, passamos em frente a um muro todo grafitado e vimos várias pessoas parando para bater fotos e deixando cigarros. A gente não sabia o que era aquilo, mas como o muro era muito legal, paramos para bater fotos também, bem no estilo turistões.

Tsoi Wall e não se acostumem a ver minha cara no blog
Tsoi Wall e não se acostumem a ver minha cara no blog

Depois pesquisei no Google o que era esse muro e resumindo a história, nos anos 80 havia essa banda de rock chamada Kino. O vocalista era um russo de ascendência coreana que morreu num acidente de carro em 1990 aos 28 anos. No mesmo dia de sua morte, alguém grafitou a parede em sua homenagem, depois veio outro, outro e outro e enfim, o muro virou uma homenagem ao vocalista e, se você jogar no Google, vai ver que ele está sempre diferente por conta das contantes grafitações. E o som da banda é bom, ouça aqui. Apesar de ter tirado a foto sem ter noção do que era, achei legal ter descoberto a história mais tarde e ter curtido o som da banda. 🙂

Paramos para almoçar no My-My, aquele restaurante russo que comentei nos posts anteriores. É bem fácil de achar um andando por Moscou e na Rua Arbat tem dois!

Para terminar o dia, fomos para o Gorky Park. Ele fica um pouco mais distante e a apesar de até ser possível ir a pé (o que levaria uma meia hora), preferimos pegar o metrô. O problema é que era o auge do inverno e quando chegamos lá, pouco depois das 16h, já estava escuro. Tinha um rink de patinação enorme montado no parque, mas estava fechado. Levando-se em consideração que era um sábado no fim de dezembro, o motivo só podia ser o calor atípico do período, pois naquele dia fazia uns 3 graus e nem dava para o gelo ficar bom pra alguém patinar, né?

Gorky Park
Gorky Park

Andamos um pouco, mas um parque no inverno e no escuro, bem, não tinha muito o que fazer. Saímos de lá e fomos para um outro parque do outro lado da rua, o Parque das Esculturas.

Entrada do Gorky park
Entrada do Gorky park

Como o próprio nome diz, o outro parque é conhecido por ser cheio de esculturas. O problema é que a iluminação era quase zero, então ficou meio difícil vê-las no meio da escuridão. O destaque era Lênin, pois havia várias esculturas dele no parque.

Ele
Ele

Pegamos o metrô para voltar ao hostel, mas como o metrô moscovita é mundialmente conhecido pela sua beleza, selecionamos algumas estações para parar e checar com nossos olhos. É claro que nossa lista incluía várias estações, mas estávamos tão cansados e o metrô consegue ser lotado até mesmo num sábado à noite, que paramos o tour quando concluímos uns 80% da lista.

Metrô
Metrô

Tem empresas que oferecem tours pagos para visitar e conhecer a histórias das estações mais bonitas, mas uma simples busca no Google traz uma lista das estações mais populares, então eu não vou indicar lista aqui (até porque, eu também peguei a lista numa pesquisa do Google, então não vou chover no molhado :)). Vou falar apenas de uma estação, pois tem uma superstição e achei interessante que as pessoas realmente acreditam nisso. Na estação Ploshchad Revolyutsii há diversas esculturas e a mais especial é uma de um soldado com um cachorro e diz a lenda que passar a mão no focinho do cachorro traz sorte e o pessoal acredita tanto nisso que o focinho está gasto!

Reparem no focinho gasto
Reparem no focinho gasto

Não sou supersticiosa, mas também quis entrar na brincadeira!

A maioria das estações tem alguma pintura, decoração ou apenas o estilo em si que podem ser consideradas obras de arte. O problema é que o metrô, aparentemente, está sempre cheio e fica difícil bater fotos e ficar olhando – quem sabe às 6h da matina dê? Além disso, a malha metroviária é  gigante (igual em São Paulo… cof cof cof…) e mudar de uma estação para outra pode levar um certo tempo. Por conta disso e do cansaço, nos contentamos em visitar uma parte das estações da nossa lista e voltamos ao hostel.

Metrô, seu lindo.
Metrô, seu lindo.
Anúncios

5 comentários sobre “Moscou – souvenirs, parques e metrô

  1. Eu não sabia que Moscou era famosa por ter lindas estações de metrô – achei super interessante e pelas fotos dá pra ver que são super bonitas mesmo, adorei! Queria muito um conjuntinho de bonecas russas pra chamar de meu. Ai ai ai Bia, que vontade de conhecer a Rússia agora! Humpf
    Entre Moscou e São Petersburgo, qual você indicaria mais? Ou acha que é melhor ir pra Rússia e conhecer logo as duas, como você fez?

    1. Bia

      Poxa, acho que vou ter que fazer um post melhor falando das estações russas. São realmente lindas, tanto em Moscou quanto em São Petersburgo.
      Sua última pergunta é tricky. Nossa ideia inicial era ir só para São Petersburgo e incluímos Moscou porque achamos voos baratos e acho que foi a melhor coisa que fizemos. As duas cidades são bem diferente, pois Moscou é bem aquilo que a gente tem na cabeça do que é ser russo e a outra tem um ar mais europeu. Uma é mais exótica, a outra mais charmosa. Eu gostei mais de Moscou pela beleza e pela enorme quantidade de opções de passeios, mas São Petersburgo é muito “gostosinha”, então, se possível, eu visitaria as duas se fosse você.

  2. O metro de Moscow é a coisa mais linda (quanto a metro) que já vi nessa vida. Fiquei muito apaixonada por lá. Apesar que passei certos apuros por que ninguémfalava inglês, algumas pessoas foram bem grossas e nem no aeroporto conseguiam me dar informação correta. São Petersburgo é outra coisa maravilhosa né?

    Beijos.
    Vidaemserie.com

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s