Bancos na Finlândia – Parte 2

Meu relacionamento com o OP chegou ao fim e eu fiquei aliviada! Apesar de parecer um banco moderno, algumas coisas me deixavam surpresa. Além do fato de o caixa eletrônico parecer ter minha idade (o que para caixas eletrônicos corresponde a ser tataravô), o sistema de depósito era mais esquisito que o da Irlanda e seus comprovantes de papel. Na agência, o cliente pega um pequeno formulário como aqueles do Brasil, preenche todos os dados da conta que vai receber o depósito, coloca os dados da própria conta com nome completo, endereço e assinatura, põe dentro de um envelope e… deposito no caixa eletrônico? Não, coloco dentro de uma urna! Há duas opções: pagamentos feitos em até 5 dias úteis – cobram 2 euros – e pagamentos para o dia seguinte – por 3,50 euros cada um. Achei super moderno para 1995. Pena que estamos em 2015.

E pra piorar, e finlandês!
E pra piorar, em finlandês!

Nordea

Ao contrário do OP, o Nordea solicita agendamento de horário com o gerente para poder abrir uma conta. Então a A., que também queria trocar de banco, e eu fomos na agência marcar um horário. Estávamos conversando com um funcionário e eu, não lembro bem por qual motivo, comentei que tinha conta no OP – acho que estava na dúvida sobre como transferir o dinheiro. O funcionário pediu licença e foi conversar com seu superior e ao voltar nos informou que o Nordea não poderia nos aceitar, pois já tínhamos uma conta em outro banco e, portanto, não faria sentido abrir uma conta lá. Aí eu questionei se na Finlândia as pessoas não poderiam trocar de banco livremente, se eu teria que fechar minha conta no OP primeiro e depois voltar lá. E ele disse que nem assim, pois os sistema dos bancos eram interligados e eles saberiam que eu tenho/tive conta em outro banco e não poderiam abrir uma para mim. É óbvio que isso não fez o menor sentido pra mim, mas eu já disse em posts anteriores que o lema nesse país é “ouviu um não hoje, volte amanhã“.

Voltei ao banco na semana seguinte e desta vez só disse que queria um horário com um gerente para abrir minha conta e no dia marcado, fui ver no que dava e se era verdade mesmo que se negariam a abrir uma conta pra mim. Levei todos os meus documentos e fiquei incrível uma hora respondendo perguntas da gerente! Achei que não iria acabar mais, ou que estava num talk show ou sendo interrogada pelo serviço secreto finlandês (existe um?).

“Vai ter depósito todo mês na sua conta?”, “Se sim, quem vai mandar?”, “Escreva o nome e o endereço de todas as pessoas que poderão te mandar dinheiro.”, “De onde vem seus fundos?”, “Você vai usar seu cartão para compras online?”, “Você é uma pessoa de interesse no seu país?”, “Você ou alguém da sua família é famosa e temos que manter seus dados em sigilo?”, “Você tem dupla nacionalidade?” (meu passaporte foi emitido em Dublin e ela achou que isso significava que eu tinha cidadania irlandesa)… Depois desta uma hora assinando papel, preenchendo ficha e respondendo perguntas, finalmente saí de lá com minha conta aberta. A vantagem do Nordea é que eles tem uma versão em inglês de tudo: documentos (que assinei sabendo o que estava escrito), do site, das agências, do atendimento ao cliente. No OP os funcionários em geral falam inglês, mas para por aí.

Assim como no OP, esperei cerca de uma semana para receber em casa meu cartão de débito e minha senha – que, aliás, em nenhum banco posso mudar porque eles encaram como uma nova solicitação e ouvi dizer que cobram entre 5 e 10 euros por isso.  O Nordea também oferece benefícios, como gratuidade do cartão de débito para jovens, mas neste caso é até os 28 anos e pelo primeiro ano, pelo menos, não pagarei abusivos 2 fucking euros mensais para ter um cartão de débito.

O Nordea não me oferece internet banking também, mas o motivo é outro: eles só têm o serviço para quem recebe salário ou bolsa na Finlândia e tem depósitos mensais feitos na conta, porém, oferecem visualizar o extrato e saldo online da conta, sem a opção de fazer transações, depois de cerca de 3 meses. Além disso, quando abri a conta e disse que queria fazer compras pela internet, me informaram que assim que eu recebesse os dados da minha conta pelo correio eu poderia ir na agência solicitar a senha do Verified by Visa e foi o que fiz. A senha tem 8 dígitos, sendo que eu escolho os 4 primeiros na agência e eles me enviam os 4 finais pelo correio, o que, segundo o rapaz do banco, chegaria em até uma semana.

Antes de continuar, uma pausa para descontrair com mais um pesadelo finlandês:

Nenhum assento completamente vago! O pobre finlandês terá que sentar do lado de um desconhecido!
Nenhum assento completamente vago! O pobre finlandês terá que sentar do lado de um desconhecido!

A novela do Verified by Visa

E eu estava louca pra bendita senha chegar para poder comprar os tickets da minha próxima aventura, já que quase todos os sites solicitam isso quando o cartão usado é europeu. Uma semana e nada. Liguei no atendimento ao cliente e me disseram que o prazo correto era 2 semanas, mas nada. Liguei novamente no serviço de atendimento e tudo que me disseram foi “Não sei porque não chegou, já deveria ter chegado, vá à agência”, porque o centro da cidade nem fica a 25 minutos de bicicleta da minha casa, né? Chegando lá, me disseram que havia muitos estudantes fazendo a solicitação e talvez por isso estava demorando… isso numa cidade de 200 mil habitantes, né, gente? Num país onde mora metade do número de pessoas que moram em São Paulo. A bendita chegou quase 3 semanas depois e assim eu me senti um tico mais feliz com os bancos finlandeses.

Para terminar o relato eterno da minha experiência com os bancos aqui, falta apenas dizer que depois de 3 meses neste país, abrir e fechar conta no inútil do OP, conseguir minha senha para compras online no Nordea e entender que todo cuidado é pouco, já que é perigoso os bancos me cobrarem por fazer perguntas na entrada, eu finalmente tenho internet banking para checar meu extrato também! Fui ao banco pedir extrato de papel pelo correio enquanto não podia acessar pela internet e o gerente percebeu que eu já poderia ter acesso. Recebi um ID, cadastrei minha senha e agora, aparentemente, não falta mais nada e nem há mais motivo de estresse! Ufa!

Curiosidades

  • Para fazer depósito na sua própria conta apenas com a apresentação de passaporte ou ID, pois apenas “auto-depósitos” são gratuitos;
  • Eu preciso comprovar de onde vem o dinheiro, não posso chegar com 200 euros, por exemplo, e depositar do nada;
  • As agências não têm detector de metais;
  • Sempre é necessário passar por uma triagem antes de pegar a senha;
  • Não tem fila preferencial – aliás, nunca vi isso em lugar nenhum aqui;

Obrigado a todos que conseguiram ler as duas partes. You all are the champions!

Anúncios

6 comentários sobre “Bancos na Finlândia – Parte 2

  1. Ficou um pouco feliz com os bancos finlandeses? Que isso… você é muito otimista. Olha a tragédia pela qual teve que passar? Bom, pelo menos tudo está resolvido e sem taxas extras… pera… e aqueles papeis em finlandês que assinou? Vish… rs

  2. Novo talk show na Finlândia: “De frente com o gerente” (até rimou XD)

    O mais engraçado é pensar que no Brasil a gente tem um monte de facilidades vindo dos bancos, no objetivo de fazer a gente gastar (e dar mais dinheiro pra eles). Mas aí parece que eles nem ligam muito pra isso né, hehe?

    E vou te falar: sou usuário master de internet banking desde sempre e, mesmo as opções aqui na Irlanda não serem fantásticas, não consigo nem me imaginar vivendo sem isso hoje!

    Orando por você no meio dessa burocracia toda! 😛

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s