O resultado

Eu sei que já dei spoiler do resultado logo no primeiro post sobre a Finlândia, mas mesmo assim o processo todo merece uma explicação.

As inscrições de mestrado seriam avaliadas da seguinte maneira:
Fase I: documentos
Fase II: entrevista

Na fase I, cada candidato poderia fazer até 18 pontos, sendo 6 pontos para o currículo como um todo e sua relevância para a área do mestrado e neste caso, como eu já expliquei antes, quem já tem formação em Educação ganha mais pontos do que quem é de Humanas, e formados em todas as outras áreas ficam na lanterninha; outros 6 pontos para a carta de apresentação (viram a importância de rasgar seda?) e mais 6 pontos pela relevância da intenção de pesquisa.

E o currículo e as cartas de referência? Bem, eles não contam pontos nesta fase, mas servem como base para a entrevista da fase II, se for o caso.

Nesta etapa, eles selecionariam, no máximo, 60 inscritos para a fase II, uma entrevista de 30 minutos presencial (se a pessoa já estiver em Oulu) ou por Skype.

Um dia, em fins de março de 2015, a Bia acorda com a cara amassada linda e enquanto toma coragem para levantar e se arrumar para trabalhar, pega o celular como de costume e vê suas notificações (a viciada em tecnologia). Na caixa de entrada havia um email com o seguinte assunto em letras garrafais “INTERVIEW INVITATION”. Estavam me dando os parabéns por ter passado para a segunda fase e a data da minha entrevista com o usuário do Skype que eu deveria ligar. Fiquei meio sem reação, afinal, mandar uma inscrição de mestrado para uma universidade europeia é uma coisa, saber que você está halfway there é outra completamente diferente.

E levantei da cama assim.
E levantei da cama assim.

A entrevista seria em menos de duas semanas e eu não fazia ideia do que iriam me perguntar – nunca tinha feito nada parecido na vida! Achei que deveria ler novamente tudo que escrevi na inscrição e responder as perguntas de forma mais honesta possível.

A entrevista vale 10 pontos e para ser aprovado, o aspirante a mestre deve fazer, no mínimo, 5 pontos. A entrevista serve para tirar dúvidas que possam ter surgido no application, checar se a pessoa tem aptidão para a área de educação e consegue discutir o conteúdo do programa de mestrado, a motivação e relevância da intenção de pesquisa e, finalmente, se o nível de inglês está de acordo com o exigido, já que o mestrado é no idioma.

Aliás, isto me chamou atenção: normalmente, as universidades já na inscrição exigem algum certificado de proficiência em inglês, que varia de universidade para a universidade, mas na Europa o mais comum é o IELTS – que eu não tenho. Algumas também aceitam CAE e CPE. Já eles foram muito mais práticos que teóricos: não quero ver um pedaço de papel provando que você sabe falar inglês, quero ver na prática se você sabe ou não. Se não souber se virar nos 30, você é simplesmente tirado da “competição”.

A entrevista durou meia hora e acho que merece um post só para ela, então vamos continuar com a história.

O resultado final sairia em duas semanas e eu confesso que estava tranquila. Estava realmente na vibe de “se passar, passou, se não, seguimos com a programação normal da minha vida”. Eu realmente estava okay com ambos resultados, porque mesmo que não tivesse passado, já estaria feliz de saber que uma universidade europeia havia me considerado como possível estudante e se não, a vida no Brasil estava muito bem, obrigada.

O dia previsto para sair o resultado era 21 de abril, então fiquei aguardando o email como das outras vezes, mas não recebi nada. Então, no dia 22 mandei um email para a coordenadora do curso perguntando se o resultado já havia saído e ela me responde começando com “Congratulations” e enviando o link para checar a lista no site do curso. Li este email na mesma situação do anterior: deitada na cama tomando coragem para levantar e encarar a vida. Aí eu sentei e fiquei minutos olhando para o nada, tentando acreditar no que tinha acabado de ler. O processador deste cérebro aqui não estava conseguindo mesmo processar essa informação e foram muitos e muitos minutos sentada de pijama e descabelada na cama tentando compreender o que estava para acontecer – ah, cheguei atrasada no trabalho, mas não estava nem aí também – eu ia pra Finlândia!!!

No próximo post conto como foi a entrevista por Skype e depois, toda a novela para deixar tudo certinho para embarcar!

[Todas as informações que dei neste texto estão, em inglês, aqui.]

Anúncios

6 comentários sobre “O resultado

  1. Gente, o que é esse esquema de pontuação que mais parece a TeleSena, com direito a mais pontos e menos pontos, hahaha!
    Ahhhh, os certificados de proficiência, nem me fale deles! Aliás, fiquei curioso: no processo eles não pedem os tais certificados, ou fazem uma avaliação deles em conjunto com como se vira na entrevista? Acho que vai responder isso de qualquer jeito no próximo post, né? Desculpe a euforia, haha!

    1. Bia

      Telesena >>> AHUAHAUHAUHAUAHAHUA… Imaginei o Sílvio Santos explicando como pontuar no mestrado!
      Sobre certificados de proficiência, pelo que vi casa universidade tem seu critério, já que vi universidades finlandesas pedindo, porém quase todas aceitavam CAE e CPE, não só o IELTS. No meu caso, a avaliação do meu inglês foi feita na meia hora de entrevista via Skype, tema do próximo post. 🙂

  2. Oi, Bia, tudo bem? Eu estou realmente muito feliz em ter achado seu blog. Li vários posts e, mesmo esperado por telas, eu pude sentir uma energia muito boa vindo de você. Eu estava me perguntano (I was wondering, maldita tradução) se talvez você, mais experiente, poderia me dar um conselho?
    Eu tenho 23 anos, indo para 24, atualmente dou aulas de inglês no FISK. Não tenho graduação pois mudo de ideia o tempo todo sobre o que quero da minha vida. Eu gosto muito de inglês. Quero fazer o CPE esse ano. Já pensei em fazer letras, mas queria fazer algum curso que me possibilitasse morar um tempo fora. Eu nunca sai do Brasil e eu sonho intensamente com o dia que eu vou viajar para um English-speaking country. Eu li diversos posts seus mas não achei um que falasse sobre o curso da sua graduação. Foi letras mesmo? Será que consigo viajar fora mesmo cursando letras? Há tantas oportunidades de intercâmbio para cursos de ciência, mas nunca ouço falar das mesmas oportunidades quando se trata de letras. Talvez eu seja chamado para estudar Português/Italiano na faculdade. Talvez eu tente ano que vem para Português/inglês. Eu ainda não sei muito bem. Será que você poderia dar uma dica? Muito obrigado!
    Dan

    1. Bia

      Oi, Dan!
      Sim, eu me formei em Letras Português/Inglês na USP em 2011 e conclui a Licenciatura em 2014.
      Infelizmente o que você disse é verdade, há poucas oportunidades para cursos na área de Humanas, vide Ciências sem Fronteiras que não cobria nenhum curso desta área.
      Sobre fazer intercâmbio cursando Letras, acho que aí depende das parcerias que a sua universidade tem. Não sei se você está falando da USP, mas sei que tem sim oportunidades de intercâmbio por lá na FFLCH, o problema é que essas informação são porcamente divulgadas (a gente recebia email com o edital 2 dias antes do prazo terminar, por exemplo), então intercâmbio por lá é o aluno que precisa correr atrás.
      Tem outras diversas opções, se não for obrigatório incluir curso de nível superior. Au Pair nos EUA (tem uma agência que aceita homens), inglês na Irlanda (e se você escolher curso preparatório, pode tentar o CPE lá), inglês na Inglaterra, visto de trabalho e estudo na Austrália.
      A Finlândia não é um English speaking country, mas todo mundo fala inglês aqui e eu falo inglês o dia todo. Se sua ideia é seguir na área de Educação, tem um curso de formação de professores na minha faculdade que é também voltado para alunos internacionais, são 5 anos – 3 de bacharelado e 2 de mestrado.
      Espero ter ajudado!

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s