Buenos Aires – Recoleta e Casa Rosada

Após a pausa para o almoço, fomos ao cemitério da Recoleta e devo confessar: foi a minha primeira vez em um cemitério.

Descansem em paz
Descansem em paz

Já entrei procurando no mapa onde estava a Evita Perón, mas não havia nada escrito. Isso porque ela está no túmulo da família Duarte, seu nome de solteira- mas isso eu só descobri depois. Como entrei no cemitério sem saber onde estava seu túmulo, comecei a andar apenas observando a grandeza e ~ostentação~ de alguns jazigos e o abandono de outros.

Não muito modesto, ahn?
Não muito modesto, ahn?

No cemitério estão enterradas várias personalidades argentinas, a maioria ligada à política, como o Wikipédia esclarece.

General Lavalle
General Lavalle

Depois de ver muitos jazigos, perguntamos a um funcionário onde estava o de Evita. Para nossa surpresa, não havia ninguém por perto… até acharmos! Aí sabe como é, um turista com câmera chama outro que chama outro…

Túmulo de Evita
Túmulo de Evita

Ao fim da visita, o cansaço já tomava conta e embora ainda houvesse o que se ver na região da Recoleta, fomos para o hostel. Claro que como era o primeiro dia, não tínhamos muita noção da distância (tudo bem que eu havia checado no GoogleMaps que o hostel estava a 4km de lá), então fomos a pé  e neste dia andamos fácil uns 10km, pelo menos. Claro que tinha o fato de que o Brasil jogaria às 17h, o que era irrelevante pra mim, mas não era para todos e foi meio que um fator mais decisivo para voltarmos ao hostel do que o cansaço. Não preciso dizer que eu dormi feito pedra a noite toda, né?

No dia seguinte, levantamos cedo e já recuperados da aventura dormir no aeroporto-pegar ônibus que cruza o mundo antes de chegar em San Telmo- fazer walking tour- andar 4km de volta ao hostel. Tomamos café-da-manhã bem reforçado (eu, pelo menos, comi como se fosse minha última refeição!) e fomos visitar a Casa Rosada, que fica na Plaza de Mayo (que no sotaque argentino é pronunciado como “macho”- achei engraçado).

Bem, a Casa Rosada funciona de segunda a sexta para seus devidos fins, portanto, só é aberta a visitação aos finais de semana e feriados. O sábado estava bem feio e chuvoso, então fazer um passeio indoors foi muito bom.

Casa Rosada contra a luz
Casa Rosada contra a luz – foto tirada 2 dias depois do tour

Eles também oferecem um tour guiado gratuito que dura aproximadamente uma hora e é a única forma de entrar no prédio, na  verdade. Do contrário, só é possível visitar o saguão de entrada com várias pinturas de “heróis” de vários países da América do Sul, inclusive do Tiradentes.

É permitido fotografar dentro do prédio, menos na sala da presidente (que, aliás, tinha um cheirinho ótimo). O tour era em espanhol e apesar de a guia falar devagar, eu confesso que muita coisa acabou passando sem eu entender muito bem o que ela estava falando. Acontece, né, gente?

Fotografando o Saguão de entrada
Fotografando o Saguão de entrada

A guia conta as histórias ou peculiaridades de cada cômodo visitado, além de outras curiosidades sobre o prédio, como o motivo de a casa ser rosada! Eu já havia lido algumas teorias na internet, como por exemplo, ser rosa porque é a cor que resulta da mistura do vermelho com o branco, cores de partidos, por assim dizer… achei que descobria a verdade no tour, mas o fato é que nem eles sabem ao certo porque escolheram essa cor e a guia disse que a melhor justificativa mesmo era pra ser diferente das outras casas de governo de outros países. Então tá. Neste link tem algumas curiosidades sobre a pintura da Casa Rosada.

Jardim interno da Casa Rosada
Jardim interno da Casa Rosada

Quando o tour terminou, a chuva estava ainda pior e o dia completamente miserable! Para piorar, a Argentina iria jogar às 13h e eles são tão loucos por futebol como os brasileiros aqui: tudo fecharia durante o jogo. Sem opções de lugares para visitar e com uma chuva e céu cinza que não me deixariam sair andando para simplesmente olhar a cidade tranquilamente durante o jogo, acabei indo para o hostel. Enquanto a bola rolava, eu pesquisava na internet o que ainda poderia fazer naquele sábado chuvoso dos portenhos.

Anúncios

5 comentários sobre “Buenos Aires – Recoleta e Casa Rosada

  1. Sério que essa foi sua primeira vez num cemitério, Bia?! Nossa!

    Eu acho bem tosca a atitude de turistas – e muitos brasileiros inclusive – tirando foto e selfies com o túmulo da Evita. Sei lá, acho que tirar foto do cemitério e dos túmulos é uma coisa, tirar selfies é outra, né? Muito uó.

    Eu não sabia desse tour na casa rosada. Quando fui só tirei foto com os guardinhas e li sobre os líderes latino-americanos…

    1. Bia

      Já aviso que não tirei selfie em frente do túmulo, aliás, eu só tirei foto do cemitério, não estou em nenhuma delas! haha…
      Puxa, não sabia do tour? Eu descobri por acaso, porque a ideia original era ir na segunda-feira, mas devido ao péssimo tempo que estava no sábado, acabamos fazendo os passeios indoors – dei sorte.

  2. Uma vez eu visitei um cemitério bonito em Malahide…o pessoal que tava comigo tirou selfie e fotos felizes! Muito tosco!
    Eu quero visitar a América do Sul, gente!

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s