CPE II – A vingança

E eu resolvi prestar o CPE novamente. Por que?

Primeiramente, como havia escrito no post anterior, porque sou brasileira e não desisto nunca. Segundo porque eu sou professora de inglês e ter um certificado de CPE enche os olhos de qualquer escola de inglês que eu for procurar emprego, ou seja, agrega valor ao currículo, agrega tudo! E também por uma questão de orgulho e mostrar pra Cambridge que eu posso tirar esse certificado! Mas sério, certificados são importantes para um professor, e é interessante tê-los, mesmo que eu não acredite neles (afinal, esse certificado prova que eu soube fazer a prova, porque provar que eu falo inglês eu faço todo dia, né?). Se quiser saber como foi minha primeira vez com o CPE, leia aqui.

Irlanda vs. Brasil

Antes de comentar sobre a prova, acho legal falar das diferenças que notei na organização do exame nos dois países.

Esta semana fiz um treinamento para ser fiscal de sala de Cambridge (pois ontem trabalhei durante os exames na escola em que dou aula e que também aplica a prova) e descobri que os candidatos que saem do Speaking test não podem ter contato com os candidatos que estão aguardando. Pensei um pouco e me perguntei: por que vi dois candidatos que haviam acabado de sair da prova batendo o maior papo com os amigos que ainda aguardavam sua vez? Ainda os ouvi contando qual havia sido o tema do Speaking deles… E a escola que aplica a prova aqui no Brasil é uma das mais tops.

Cheguei na escola 35 minutos antes do início da prova, como haviam solicitado e para quê? Para ficar esperando. Na Irlanda, chegamos antes para deixar nossos pertences guardados, tirar foto e ir para a sala. Aqui, nos chamaram às 7h40, 5 minutos antes do horário previsto para iniciar o exame, e ainda tivemos que desligar celular, colocar nossos pertences no canto da sala, esperar os examinadores se organizarem… resumindo, a prova começou com 15 minutos de atraso. Para compensar isso, reduziram nosso primeiro intervalo de 30 para 15 minutos. Bacanas, né? E quando nos liberaram para sair da sala, o examinador solta um “Ah, não se esqueçam de irem à recepção tirar uma foto, caso contrário, serão desclassificados”. E aquela meia hora que pedem para chegarmos mais cedo não seria exatamente para bater esta foto, meu senhor? Ah não, é pra fazer isso nos 15 minutos de intervalo que te dei! Humpf…

Nos intervalos entre as provas, a escola na Irlanda nos ofereceu um lanchinho: suco, chá, bolachas. Aqui, nada.

Na Irlanda, a sala tinha mesas e cadeiras (bastante espaço para abrir a prova e escrever), meu nome e número de inscrição colados na mesa, lápis, caneta e borracha providenciados pela escola e ainda uma folha de rascunho para fazer o writing. Aqui, não deram nada disso e fizemos a prova em carteiras, aquelas de faculdade, sabe? Eu não conseguia nem abrir a prova inteira em cima dela e minha borracha teve que ficar no meu colo… Achei bem desconfortável.

Cambridge é bem rígida e não é permitido ter comida na sala e caso queira levar água, a regra diz que a garrafa deve ser transparente e estar sem o rótulo. Sabendo disso, nem levei minha garrafa porque ela é roxa (transparente, porém roxa) e achei que não permitiriam que a usasse. Aí eu vi gente com garrafa com rótulo, com squeeze colorido, com garrafa térmica, com chocolate…

Vocês podem estar pensando “mas que enjoada que você é, né?”. Bem,  algumas das coisas que citei eram regras de Cambridge que não foram cumpridas. Outras, foram obviamente falta de organização e algumas delas não eram obrigação da escola, mas em comparação com a escola da Irlanda, achei que ficaram devendo.

Reading and Use of English

Confesso, novamente, que não estudei para a prova. Fiz alguns outros mocks, vi vídeos de speaking no Youtube e peguei dicas na internet, mas se eu não passar again, podem apontar o dedo e falar que eu gosto de jogar dinheiro no lixo (590 dilmas, no caso) e que deveria ter aprendido minha lição e estudado. É verdade. De qualquer forma, eu achei o Use of English relativamente fácil – consegui fazer os exercícios de sentence transformation com tanta facilidade que pensei que, obviamente, só poderia estar escrevendo tudo errado! Porém, achei o primeiro exercício (de múltipla escolha) bem trick! O reading estava okay, mas eu não tive tempo de revisar nada do que fiz e consegui terminar de transferir as respostas para o gabarito segundos antes de acabar o tempo.

Writing

O summary-essay é obrigatório e gostei do tema: inteligência. Acho que consegui desenvolver bem o texto, opinar, usar estruturas gramaticais mais complexas e fazer um bom essay. Na segunda parte eu escolhi report por razões óbvias: acho muito mais fácil de desenvolver o tema. O assunto era um relatório para uma agência de turismo em que eu deveria falar de dois lugares do meu país que os turistas normalmente não visitam e destacar o que eles aprenderiam sobre a história e cultura do país. Acho que desenvolvi relativamente bem, mas excedi o número de palavras. Apesar de eu escrever até que bem (gramática e tal), o writing foi minha pior nota no CAE e no último CPE (não sei falar difícil, though). Vamos ver como fui agora.

Não sei se foi impressão minha, mas a outra opção do writing era escrever um artigo sobre moda destacando sua influência sobre os jovens. Quando fiz o CAE, eu escrevi um article sobre o mesmo tópico. Cambridge reaproveitaria os temas de seus writings? Polêmica.

Listening

Achei super difícil! Fora aquela questão de ter que ler as questões, ouvir o CD, pensar e responder tudo ao mesmo tempo. Eu fiquei com uma nota muito alta no Listening do último CPE, mas receio que não vá repetir o feito.

Havia 24 pessoas prestando o exame. No fim do primeiro teste, os examinadores passaram arrancando a prova de todo mundo e o rapaz do meu lado não conseguiu terminar de transferir as respostas. Aí, no fim do listening, o rapaz que estava do meu outro lado, não havia terminado de passar as respostas e o examinador meio que esperou ele terminar. Coerência mandou um beijo!

O resultado está previsto para sair dia 24 de janeiro de 2014. Eu confesso que não tenho muita noção de notas, porque Cambdrige é assim, quando você acha que arrasou vem um Weak no seu certificado e quando você acha que foi mal, te vem um Exceptional. Minha previsão é: se eu reprovar, vai ser por pouco como da outra vez, mas se eu passar, vai ser tipo por 2 ou 3 pontos, mas whatever, passar com C é A! E bora sambar na cara desses britânicos!

Sambando na cara de Cambridge!
Sambando na cara de Cambridge!
Anúncios

5 comentários sobre “CPE II – A vingança

  1. Andre Venturin Rocha

    Bia,
    Passou no exame? Vou fazer o CPE esse ano! Fiz o CAE ano passado e passei com B. Vou me preparar o ano todo pra tentar em Julho e Dezembro. Abracos…

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s