Sentir saudade era melhor

Meu um ano na Irlanda foi um ano de férias. Eu trabalhei como babá praticamente todo o tempo em que estive lá, mas anda assim, era férias da minha vida de professora. Dei aulas de português para uma francesa fofa, mas ainda assim, era férias. E eu senti saudade, depois de um tempo, de estar em sala de aula. Mas eu tenho a seguinte filosofia: se eu sinto saudade e ela incomoda, eu não penso. E para mim é realmente simples assim. “Ai que saudade dos loirinhos”! Não penso neles e pronto. Dá certo em 90% das vezes. E assim segui meu um ano não pensando nos tempos em que era professora.

No meu primeiro dia de aula depois do intercâmbio eu estava completamente perdida. Parecia que eu havia esquecido como dar aula, anotei todo o passo-a-passo da aula do dia, tinha meio que esquecido os macetes. Foi tenso! Mas depois de algumas semanas, a ferrugem sumiu e voltei a me sentir confortável em sala. Tenho um ótimo relacionamento com meus alunos, me divirto dando aula e saio da escola sempre feliz e satisfeita com meu dia e com minha profissão. Sim, é possível ser professora e feliz.

Mas aí chega o fim do semestre. Fim. Do. Semestre. Provas, boletins, revisões, preencher diário de classe, avaliar alunos. E neste hora, nesta bendita hora, eu lembro como sentir saudade era muito melhor. Que professor nunca teve vontade de sumir no fim do semestre que atire a primeira pedra! (Porque eu tenho vida fora da escola e ela também está me cobrando muita coisa).

Então, agora, o que me dá saudade era de cuidar dos loirinhos, pois no fim do semestre não tinha nada disso! :p

Anúncios

4 comentários sobre “Sentir saudade era melhor

  1. Te entendo perfeitamente. Tô vendo o povo da CI surtar com o fim do semestre enquanto eu tô mais preocupada com o que vou fazer pro meu jantar amanhã. Tenho saudade, mas esse ano “sabático”, longe de sala de aula, tá sendo ótimo!

    ps: já tá acabando!

  2. Bruno

    “…saio da escola sempre feliz e satisfeita com meu dia e com minha profissão.”

    Não há preço que pague sentir-se realizado e fazer o que se gosta. Infelizmente não há trabalho perfeito e sempre há uma parte chata que deve ser feita. (hehehehe).

    Bia, adoro o seu Blog, continue escrevendo. Abs.

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s