Crianças, dragões e piratas

O F. tem 3 anos e como toda criança dessa idade, tem uma imaginação muito fértil que se torna ainda mais criativa pelo (maravilhoso) hábito de ler (no caso, a mãe e eu lemos para ele).

Quando F. faz alguma coisa não muito legal, ele precisa sentar no primeiro degrau das escadas com uma ampulheta e refletir sobre o que fez. Quando a areia termina de cair, F. avisa e vou conversar com ele. A ideia não é puni-lo simplesmente, mas fazê-lo refletir sobre o que fez. Porém, estas são as respostas que ouço quando pergunto “Você refletiu sobre seu comportamento?”:

“- Não.
– Então, pensou sobre o que?
– Dinossauros.”

“- Mas sobre o que você ficou pensando?”
– Piratas! Eles estavam brigando com os dragões.”

“- O que ficou passando pela sua cabeça?
– O vilão do livro que estava brigando com os piratas e depois apareceram os dinossauros.”

“- O bombeiro Sam resgatando os dinossauros.”

E por aí vai. No fim, preciso lembrá-lo do que fez e explicar por que é errado. Se foi algo para mim, ele me abraça e fala “So-ee” (sorry- lembram que ele ainda não consegue fazer os sons do R?) ou se foi para o irmão, o abraça e beija.

Estou no caminho certo? Alguma dica de psicologia infantil? 🙂

Anúncios

9 comentários sobre “Crianças, dragões e piratas

  1. Greice

    Oi Bia! Realmente é difícil fazer com que crianças novinhas assim reflitam sobre o que fizeram de errado. Mas você está no caminho certo sim! Faça ele se colocar no seu lugar ou no do irmão… dando exemplos e fazendo com que ele perceba como se sentiria caso vocês tivessem tal atitude com ele. Você tbm pode conversar com ele a respeito de qual seria a atitude aceitável (certa)… “F., você fez isso, mas o que você poderia ter feito de diferente? vamos pensar juntos? eu te ajudo”. E tbm coloque os personagens que ele mais gosta nesse “jogo”. O que ele acha que tal personagem faria… enfim, você pode usar muito a imaginação e criatividade, assim como ele faz hahaha. Eles até entendem melhor. Ah, e sempre que ele fizer algo legal, por mais bobo que seja, é interessante você elogiá-lo. Espero tê-la ajudado! Bjos

    1. Bia

      Greice,
      No Brasil eu trabalhava com crianças, mas elas eram um pouco mais velhas, 5/6 anos e isso funcionava bem com elas (pedir para se colocar no lugar do amiguinho, dar exemplos, explicar), mas ele com 3 anos ainda não consegue processar bem isso. O “positive reinforcement” que você citou (elogiar sempre que faz algo bom) eu sempre uso e funciona bem. Mas você deu uma ideia muito boa de incluir a própria imaginação dele na conversa e com certeza vou tentar isso, além de ajudá-lo mais a chegar a uma conclusão do que seria o certo.
      Obrigada! 🙂

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s