Edimburgo, Escócia

Alguns dirão que por fazer parte do Reino Unido, não posso contar que a Escócia foi o 9º país que visitei. Mas como o Reino Unido em si não é um país, então, posso dizer que foi, sim! 🙂

Edimburgo é uma cidade pequena com menos de 500 mil habitantes. A principal atração turística é o Castelo de Edimburgo que foi a primeira parada da viagem. O castelo fica no topo de uma rocha (Castle Rock) e a visão da cidade de lá de cima é privilegiada. Há indícios de que o castelo começou a ser construído no século VII e desde então, foi expandido e reconstruído conforme as necessidades e os rumos das guerras. Porém, a construção mais antiga existente ainda data do século XII, a St. Margaret’s Chapel.

Castelo de Edimburgo
Castelo de Edimburgo

O ticket custa £14,50 em baixa temporada e £16 na alta, ou seja, no verão. Ao contrário de Londres no Ano Novo, Edimburgo não estava lotada de turistas e não havia nem fila para comprar os tickets. O castelo é gigante e conta com museu, capela, loja, memorial, prisão etc.

No museu da guerra aprende-se um pouco sobre a história da Escócia nas guerras, obviamente.

Escoês

No castelo também havia uma prisão para marinheiros de vários países e a representação do local é bem interessante, mostrando como os presos dormiam, comiam e passavam seu tempo, além de se engajarem em trabalhos artesanais.

Uma das exposições conta a história das jóias da coroa e no fim, elas estão expostas (coroa, espada e cetro). Não é permitido fotografar neste local, mas é impressionante!

Bem próximo ao Castelo, fica a The Scotch Whiskey Experience, onde é possível fazer um tour para saber um pouco mais sobre a produção de whiskey. O valor do tour era um pouco elevado (né?), então apenas visitei a lojinha e me dei por satisfeita! 🙂

Outra atração não muito distante do Castelo é o National Museum of Scotland, entrada grátis. O museu não é muito grande, mas gostei bastante pela interatividade e pelas diferentes exposições.

National Museum of Scotland
National Museum of Scotland

As exposições iam desde animais e formação do universo até a história do telefone, por exemplo.

Museu
Falei que era interativo!

O hostel oferecia um free walking tour pelos principais pontos da cidade e foi o que fiz no segundo dia. O tour começou por um cemitério ao lado do hostel, o Greyfriars Kirkyard. Há algumas histórias interessantes sobre o local.

A primeira é sobre John Gray, que viveu no século XIX. John tinha um cachorrinho chamado Bobby e a história começa quando ele falece. O fiel cachorrinho ia todos os dias ao cemitério guardar o túmulo de seu dono e fez isso até sua morte, 14 anos depois. Por conta disso, Bobby teve o direito de ser enterrado no cemitério também.

Bobby ficou famoso e ganhou até uma estátua!
Bobby ficou famoso e ganhou até uma estátua!

Não sou a maior fã de Harry Potter, mas já li quase todos os livros. Não sabia que J.K. Rowling havia morado um tempo na capital escocesa e foi lá que começou os rascunhos do livro. De qualquer forma, em frente ao cemitério há uma escola com uma historinha. Dizem que era uma escola que apenas famílias ricas poderiam bancar e as famílias emergentes queriam justificar por que seus filhos não estudavam lá. Assim, surgiu a lenda de que era uma escola de bruxaria e que os alunos voavam em vassouras e coisas do tipo. Ninguém pode afirmar, mas há a possibilidade de J.K. Rowling ter se inspirado nisto para criar Hogwarts.

A tal escola
A tal escola

A guia contou outras historinhas sobre o cemitério, como túmulos protegidos por grades para evitar o roubo de corpos, o que virou prática comum na região nos séculos anteriores, para vendê-los para as universidades.

Ainda falando de J.K. Rowling, tem um café que se diz o local de nascimento de Harry Potter, pois seria lá onde a autora ia para tomar um café e escrever um pouco.

Se curtir Harry Potter, não deixe de passar por aqui!
Se curtir Harry Potter, não deixe de passar por aqui!

Outros pontos do tour incluíam o lugar onde as mulheres suspeitas de bruxaria eram “testadas”, um teste muito justo, diga-se de passagem. Os polegares e os pé eram atados e a mulher jogada no rio. Se ela flutuasse, era uma bruxa e seria resgatada para morrer na fogueira. Se afundasse, não era bruxa, mas enfim, depois que afundou ninguém voltava para salvar a coitada.

Passamos, então, pelo The Scott Monument, construído em homenagem ao escritor escocês Walter Scott, fundado em 1840. Eu, particularmente, não conheço este escritor. O monumento tem uma coloração escura por causa de incêndios ocorridos no passado e pela poluição.

Não é dos mais lindos que já vi...
Não é dos mais lindos que já vi…

De lá o tour seguiu para o Calton Hill, de onde se tem uma boa visão da cidade. Lá há uma acrópolis não terminada, que deveria ser uma réplica do Partenão de Atenas em memória daqueles que morreram nas guerras napoleônicas.

Sem dinheiro para ser terminada...
Sem dinheiro para ser terminada…

Visitei também o Parlamento Escocês e o palácio da rainha Elizabeth quando visita a cidade, mas não achei nada espetacular e nem chama a atenção se você estiver passando em frente meio distraído.

Edimburgo é uma cidade charmosa e eu gostei bastante. Deu até vontade de morar lá, apesar do mal tempo e do céu constantemente cinza.

Dicas

Transporte
É muito fácil ir do aeroporto ao centro da cidade. Do lado de fora do aeroporto sai um ônibus que custa £3,50 ou se comprar o return ticket, sai por £6,00 e leva cerca de 30-40 minutos para chegar ao destino.

Acomodação
O hostel era bem localizado e não precisei utilizar o transporte público, o que foi uma super vantagem. Achei o lugar bem legal e barato, apesar de no preço não estar incluso café-da-manhã. Para quem tem estômago de encarar um típico café-da-manhã escocês (feijão, ovo, linguiça, torrada…), o hostel serve um bem bacana. Eu fiquei só no meu bom chocolate quente com torradas. 🙂
A decoração era tão legal que tirei algumas fotos!

Cool, hein?
Cool, hein?
Área comum
Área comum
Rio de Janeiro
Pintura na parede do hostel

E esta foi minha primeira parada!

Anúncios

9 comentários sobre “Edimburgo, Escócia

  1. Todo mundo que conheço (quer dizer, que acompanho pela internet) que já foi pra Escócia fica maravilhado e fala muito bem do país, nunca vi ninguém falando mal!
    A cidade tem uma cara de velha, mas passa uma sensação muito gostosa… uma sensação de história, de tradição… não sei se me expressei bem.
    Lindas fotos e belo post!

Preciso comentar esse post!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s